14 de julho de 2008

Um Crioulo n’descontra [Capítulo 1]

Há algum tempo atrás, por ocasião de um certo Festival da Juventude, estava-se a tentar fazer os jovens ouvirem poesia (um gesto nobre, mas, desconsolador). O programa chamava-se “Chá com os Poetas” (uma chá extremamente quente, diga-se de passagem).

Pronto, lá estávamo-nos nós, uns poucos com vontade de se banquetear com a poesia, e outros de olhos nos bufetes e naquele chá horrivelmente quente, quando se anunciou que eu escrevia poesia e que um poema meu seria lido na próxima semana. Nisto, vira-se para mim uma crioula, daquelas de corpo roliço, não gorda, durinha… e pergunta-me se queria ver a sua colecção de poesia. Aceitei…

3 comentários:

alice disse...

ya bo te radical nud fixe um corti aser continua assim ok...

alice disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
daivarela disse...

Radical (gostei) Alice. Se bo curti iss te fazem mut sab. Volta sempre k bo kiser. Bijim

Enviar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | coupon codes