2 de abril de 2014

Segredos sujos da cozinha dos restaurantes que os empregados não vão contar


O que está acontecendo após a porta da cozinha? Mantenha o seu orçamento e saúde controlados com estas dicas secretas dos restaurantes. 


Os nossos garçons não vão limpar os menus entre cada cliente... 

...ou a cápsula de sal e pimenta, ou garrafas de ketchup e mostarda. Para um germofóbico pode não ser nenhuma surpresa que cozinhas de restaurantes são o paraíso das bactérias. Mas os bichinhos também estão sobre os itens de mesa. O programa “Good Morning America” enviou uma equipa de cientistas para pesquisar os itens sobre as mesas de 12 restaurantes, incluindo aqueles mencionados acima. Eles descobriram que os menus continham a maioria dos germes, com uma contagem média de 185 mil bactérias, quase 16 vezes maior do que o segundo item mais infestadas de germes, os pimenteiros. (Todo mundo olha para o menu. Nem todos adoram pimenta.) Da próxima vez que você for comer fora faça seu pedido. De seguida lave as mãos antes de comer.


Ficamos doentes também 

Mas conseguir um dia de convalescença nem sempre é a realidade. De acordo com um estudo recente da Aliança dos Trabalhadores da Cadeia Alimentar, 53 por cento dos trabalhadores da cadeia alimentar declararam ir ao trabalho quando doente. "Um grande número de pessoas pobres e transitórias trabalham em restaurantes", diz Peter Francis, co-autor da exposição industrial How to Burn Down the House, no SmartMoney do Wall Street Journal. "Elas não estão abrindo mão dos 100 dólares do seu turno só porque estão doentes." Mantenha-se atento aos chefs sentados na calçada a fumar, espirros e tosse em suas mãos, diz Chris Gesualdi, instrutor chefe no Institute of Culinary Education.


Às vezes tocamos mais do que o alimento com as nossas luvas de plástico protetoras 

Luvas de plástico dão aos cozinheiros - e, portanto, aos clientes - a falsa sensação de segurança. "Luvas de plástico são mais perigosas do que as mãos nuas", diz Howard Cannon, CEO do Restaurant Expert Witness, perito e autor do Guia completo do idiota para abrir um restaurante. Michael Laiskonis, um cozinheiro-chefe de Nova Iorque, concorda. "É fácil tocar carne de porco cru, em seguida, passar para outro item alimentar. Estas mesmas luvas se tornam o veículo de contaminação quando não as mudam com frequência suficiente, ou pior, quando as mesmas mãos enluvadas que preparam comidas servem para o registo de dinheiro. "


Se nosso banheiro é sujo, imagina a nossa cozinha 

Para ter uma noção clara das normas sanitárias de um restaurante, apenas entre no banheiro. "A realidade é que quando o banheiro é imundo e cada um dos clientes pode ver, apenas imagina o quão sujo a cozinha será sabendo que o cliente não pode ver", diz Cannon. Só porque os funcionários devem lavar as mãos antes de retornar ao trabalho não significa que você - ou sua comida - estão seguros.


Nós vamos apenas despejar; não contamos as calorias

Muitos das contagens de calorias nos menus são imprecisas. E, pior ainda, a maioria das irregularidades se encontram dentro da parte "saudável" do menu. De acordo com um estudo do Journal of the American Medical Association, cerca de um em cinco opções de "baixas calorias" do menu contêm mais 100 calorias do que aquele apresentado pelos menus. Tamanhos das porções e procedimentos de cozinha variam amplamente no mundo do restaurante, levando a uma ampla gama de conteúdo das calorias. Na verdade, a contagem mais precisa de calorias pode ser encontrada em redes de fast food em que os ingredientes chegam aos cozinheiros já repartidos.


Reserva não é necessariamente uma garantia

O que é mais atraente: um restaurante barulhento e movimentado ou um conjunto vazio? Exatamente. Devido a isto, muitas vezes, os restaurantes vão reservar mais mesas do que aquelas que têm, a fim de preencher as suas tabelas. "Sobre-reserva é quase um mal necessário ", diz John Fischer, professor associado de serviço de mesa no Culinary Institute of America, em SmartMoney do Wall Street Journal. Em qualquer noite, restaurantes calculam sua média de não comparência e reservam o restaurante por muito acima da sua capacidade na esperança de que vão esgotar as mesas.


NOTA: texto traduzido livremente por mim do original publicado no Reader's Digest


0 comentários:

Enviar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | coupon codes