16 de março de 2014

Turista passa por São Vicente e critica tudo e todos num jornal australiano

O artigo foi publicado este sábado (16) no jornal australiano "Herald Sun" e o escritor não poupa críticas à cidade do Mindelo, suas gentes, modo de viver, economia, a praia da Baía das Gatas, o serviço de restauração, mercado de peixe, Réplica da Torre de Belém, ruas da cidade, taxistas e tudo o que se mexia...

Pouco interessado em enquadrar a realidade da ilha onde chegava, Tony Park mostrou que chegou tonto das voltas do mar e com fel suficiente para não encontrar qualquer beleza em São Vicente ou suas gentes. Sua ligeireza para criticar não lhe deu tempo de pesquisar um pouco mais e chamou Mindelo de ilha, Mindelo de capital de Cabo Verde e referiu-se a São Vicente como uma ilha-nação.

Algumas das suas críticas - embora verdadeiras - são apontadas de forma tão depreciativas que somo obrigados a dar mais atenção à sua azia por esta querida e linda ilha do que às suas observações.

Já antes eu tinha publicado no jornal "A NAÇÃO" uma análise sobre vários pontos que precisavam ser melhorados na recepção aos turistas de cruzeiros. Parece que ainda temos alguns problemas a resolver.

Para conhecerem a opinião deste turista fiz uma tradução livre da sua crítica para que as pessoas possam saber o que pensa esse escritor. Tudo o que está escrito abaixo é da autoria de Tony Park e está publicado em inglês aqui


Uma carga de cascalho e nenhuma pérola no Mindelo, Cabo Verde

NÃO-CONVIDATIVO: Apesar de sua configuração bonita, Mindelo tem pouco a oferecer aos visitantes Fonte: Fornecido

Um belo cenário não significa, necessariamente, que a cidade irá proporcionar aos visitantes uma experiência acolhedora e gratificante.

Quando chegamos está ensolarado e quente e, a distância, a cidade de Mindelo, a capital de Cabo Verde [o autor confunde-se, pois, a capital do país é Praia, na ilha de Santiago], parece encantadora. Há edifícios alegremente pintados a bombordo, uma marina cheia de iates em primeiro plano e picos dramáticos que crescem na parte de trás.

Chegamos por mar, no MSC Sinfonia, e estamos ansiosos com a nossa próxima paragem nesta grande viagem de Génova, na Itália, par a Cidade do Cabo, África do Sul.





Apesar de imagem de cartão-postal de Mindelo foi-nos avisado por turistas de cruzeiros veteranos que estiveram aqui antes que a cidade tem pouco, ou nada, para oferecer. Estou determinado, no entanto, a encontrar uma pérola escondida aqui, um pequeno segredo especial que eu possa levar comigo - e colocar nessa história de viagem.

Tenho a mente aberta quando saio do barco. A água no porto é azul iridescente; bonito. Alguns taxistas sem entusiasmo se reúnem para nos oferecer passeios, mas vemos que o centro de Mindelo é perto do porto por isso continuamos andando. Vou na esperança de encontrar alguns cafés ou restaurantes bonitos, mas tudo o que acho é uma praia suja. Há um local com aparência de novo, o bar Johnny Walker, mas estamos no meio da manhã e ainda não está aberto.

As ruas de Mindelo são estreitas e não é tão estranho uma dor nas costas, tendo em conta as passagens bruscas que vamos encontrado pelo caminho.

O MSC Sinfonia - Mindelo, em Cabo Verde, nos fez perceber que, por vezes, é melhor ,apenas ficar no navio e desfrutar de seus pequenos luxos. Pic por Robert Livingstone-Ward Fonte: Fornecido


Há um pequeno supermercado, uma loja chinesa vendendo lixo importado e… isto é tudo o que se pode encontrar no capítulo das compras.

Há um sentimento de apatia, como se ninguém se preocupasse com as centenas de turistas do navio cruzeiro passeando pela rua principal. Não que queira ser tratado como realeza mas, estranhamente, estou um pouco desapontado por não achar nenhuma loja ou restaurante a tentar nos impingir lembranças bregas ou cappuccinos superfacturados.

Mindelo parece feliz em tomar conta com sua vida sem dar a mínima aos turistas que vagueiam como se carregados pela maré.

Encontramos o Mercado de peixe e é singularmente não-turístico. Mulheres empunhando cutelos cortam pedaços de atum congelado em bocados menores. Não há nenhuma ilusão de que tudo isto seja recém-capturado. Trata-se de apenas um lugar fedido onde compra-se peixe congelado.

Bem perto há uma réplica da Torre de Belém; o original fica em Lisboa, Portugal, antigo colonizador desta ilha.

Lá dentro há uma espécie de museu, mas a mulher que cobra entrada fala inglês apenas o suficiente para me dizer que nenhuma das exposições está traduzida em inglês.

O bar Johnnie Walker, no Mindelo, Cabo Verde, recebe os visitantes com um serviço lento e café frio. Pic por Robert Livingstone-Ward Fonte: Fornecido


Há uma lengalenga sobre a própria estrutura que, mesmo escrito em inglês, é praticamente indecifrável​​. Consigo decifrar que a torre é conhecida localmente como "Capitania Velha". 

O texto continua: "O autor se manifesta através de uma réplica do Big Ben, é uma estrutura formada por vários blocos da cidade que as pessoas têm de olhar através dela, e em outros lugares na história, reflectindo o desejo de 'realizar' uma enfática unidade de voz, ao mesmo tempo, ele murmura."





Boa – muito bom para a história. 

Esta é uma ilha, eu me lembro, por isso deve haver praias. Em um posto de informação turística, sem brochuras ou mapas para dar de presente, pergunto onde é a melhor praia na ilha.

“Baía das Gatas", diz a mulher de serviço, apontando para seu único mapa. Fica a 12 km de distância. 

Sim! Eu encontrei a minha pérola. Pegamos um táxi e não vacilamos ou mesmo tentamos negociar para baixar a tarifa €20 ($ A30); estamos muito animados. Achava que teríamos tempo para um mergulho, um par de cervejas geladas em uma espreguiçadeira e, talvez, alguns camarões gigantes para almoço. 

Os pontos de vista de Mindelo a partir do interior montanhoso são impressionantes - este lugar parece melhor quanto mais você começa a se afastar dele. No outro lado da ilha, chegamos a Baia das Gatas. 

Imagine, se puder, de um lado um quebra-mar de concreto que está sendo esmagado pelas ondas do Atlântico e, de outro lado, um aterro municipal de sujeira, areia cinza suja, mato e entulho.

Os amantes do sol apreciam a principal atracção de Cabo Verde, a Baía das Gatas, talvez a pior praia que já vi na minha vida. Pic por Robert Livingstone-Ward Fonte: Fornecido

Poucos turistas europeus que vieram de nosso barco têm coragem de despir as suas cuecas para levar com as águas frias. 

Um homem que nunca deveria ser visto nu em público acaba de se pôr assim e ele está enxugando vigorosamente suas partes íntimas com a sua T-shirt. Do outro lado da estrada estão casas de férias semiacabadas (acho que compradas por pessoas que nunca estiveram aqui e que não foram avisadas), com a pintura já despojada por vendavais do Atlântico. 

É, muito possivelmente, a pior praia que eu já vi na minha vida. 

De volta ao porto vamos para o bar Johnny Walker que agora está aberto. Trata-se de um oásis de relva sintética verde e mobiliário branco para exteriores. 

Pedimos cappuccinos e nos serviram café instantâneo misturado com leite morno. 


Percebo então que eu encontrei a minha pérola, meu pequeno segredo, a dica de confiança: se o seu navio de cruzeiro chegar às docas de Mindelo, fique a bordo. 


Tony Park é autor de 10 romances situados na África. Ele viajou da Itália para a África do Sul, via Mindelo, cortesia de msccruises.com.au e swagmantours.com.au


25 comentários:

Carlos Rodrigues disse...

Pois é, o turista, embora com algum exagero, disse verdades que devem ser ditas. Não se trata apenas de uma questão turística. No fundo desmonta um pouco "o mito de Mindelo como cidade gloriosa"...infelizmente a cidade e a ilha continuam presos e mergulhados num saudosismo histórico. O mais preocupante é que pouca gente se apercebe, ou não quer, destas realidades. Falta imensa massa crítica...e sobra mediocridade em muitas áreas. Com ou sem publicidade negativa o turista veio questionar muito mais do que o turismo...no fundo fez algum trabalho de consultoria de consciências e supostas verdades. Haja coragem e espírito crítico.

Liziane lopes disse...

Essa pessoa nem deveria ter saído do seu País.... grande ignorante ele nem sabe se é a capital ou não; ou seja nem soube onde estava.... claro que há verdades ali,mas ele
deveria saber que Cabo Verde não é um País rico pois não ia ter um tratamento de luxo e deveria ter pedido um guia turístico... São Vicente não tem uma unica praia e foi pouco esperto em pedir opinião para uma pessoa que nem sabia falar inglês como deve ser.... " aguas frias"??
"vende se peixe congelado"????
sinceramente
Muito obrigado por não ter a ideia de voltar para são Vicente pois não precisamos de gente com mente fechada e negativas aí!!

Anónimo disse...

Mindelo, not the capital, no frozen fish. With that out of the way, before everyone says this article is bullshit you should understand that this is a reality that many foreigners feel when they arrive. Instead of dismissing this opinion you should think about it. What is this saying about Mindelo's chances of competing in a global market for tourism dollars? We all know that the people in CV are very proud of their country. There is a lot to love. If however you want to become better you need to stop being defensive and start listening to the opinions of others.

José Júlio Soares disse...

Caros compatriotas, por favor poem o "nacionalismo" de parte e poem a mão na consciência e deem uma volta à nossa querida Ilha de S. Vicente, vagueiem pela cidade do Mindelo e reflitam em cima do artigo do turista "Tony Park". Já precisaram d´alguma sentina no centro da cidade quando estão apertados? Já entraram nos cafés do centro da cidade? Já foram ao mercado de peixe aos sábados à tarde ou domingos e/ou feriados? Pois, caros conterrâneos, façam uma visita cuidada à nossa Ilha/cidade sem juízos pré-concebidos que nós somos os maiores entre os maiores. Dizem, e achamos que é verdade, que pior "cego é quem não quer ver". Que o homem mexeu com o nosso "orgulho" mexeu. A verdade não mata mas dói e mói.

Anónimo disse...

Grande estupido que ele, deve pensar que ele estava a viajar da Austrália para os Estados Unidos, ou mesmo então para Berlim. No entanto essa criticas que ele faz, são criticas que ele, nem sabe o que faz, criticar é ajudar evoluir, mas ele está com a sua mente pessimista que na verdade vai lhe custar evoluir como ser humano. Que ele fique sempre na sua terra, porque quem teve gosto em visitar a nossa terra, será sempre Bem-vindo. Pobreza não quer dizer podre. Adoro Cabo Verde, minha terra minha alma.

Gil Monteiro disse...

Na realidade , eu não vi exagero algum, nas suas críticas, sou caboverdiano, mindelense com orgulho, mas devo admitir que para um país cujo a segunda fonte de renda é o turismo, deixamos algo a desejar...só um cego não vê isso.Falta investimentos, projetos,infraestruturas,visão por parte do governo e consciência, morabeza por parte dos crioulos que não tem- se mostrado nada receptivos, e acolhedores...qualidades que outrora eram de se gabar nos caboverdianos!

Anónimo disse...

Claro que Mindelo esta longe de ser um mar de rosas para os turistas,
todos os que tem consciencia sabem , mas mesmo assim antes de publicar algo do tipo o Sr. Tony Park deveria investigar melhor a realidade da ilha. Sei que Mindelo tem muito mais para oferecer .

Anónimo disse...

Voi Verdade de tudo k fla mas odja modi ki nos criolos e so manda Boca ki nhos sabe.Ami e por isso kin perdi gana de volta pa nha terra.nos povos e so mal educado serviciu mofino e um vergonha.nunka mas nhos ka ta prendi ser midjor e nhos lembra k e turista ki teni nhos txeu ta kume

Liliana Rasta disse...

Faço minhas as palavras do Gil Monteiro na totalidade e ainda concordo com alguns enxerto de algumas opiniões aqui, bzot pará de otcha k kem critica é pk está contra e sim pega na criticas e decidi finalmente faze medjor até pa, moda k nos de soncent no te gostá de dzé, "pa no calás boca"....até lá um reflexão nes palavras des turista k embora ainda é só um, sé opinião ca pode ser ignored!!!

Anónimo disse...

So' um cego não ve que S.Vicente e Cabo Verde esta' uma lastima. Com um governo incompetente, arrogante e gastador, Camaras municipais corruptos e sem visão, como e' o caso de SV, ainda haja quem se sente ofendido quando e' apontado os defeitos e erros? Onde para a democracia????

tiz disse...

É bem verdade que muita coisa não esta bem organizada na ilha de São Vicente, que os nossos governates tem esquecido que o turismo não so faz so de conversas e bla blás, mas o olhar desse turista definitivamente é de alguém que esta chateado com a vida, tanta coisa bonita para ver na cidade do Mindelo e ele só conseguiu ver as coisas más.

Anónimo disse...

Ess turita dse algo que pa esperta ess governantes e municipio atensao e pa quen de direito abri oi e comessa te tma conciencia .mim tambem un ba passa feriaun otxa txeu cosa mudot un teve ne Baia un ca gosta nada arreia na praia tava suja e que muitos lops dentro de agua e sabendo que turismo e fonte de nos riqueza deviam faser limpesa constantes e acho que ess turista pode ter exagerot mas no deve aceita e muda ....

Anónimo disse...

Se Cabo Verde ta mal e precisa melhorar com certeza ka e pessoas moda bo ki ta bai promove essa melhora,porque essa mentalidade e triste e lamentavel

Anónimo disse...

Eu sempre disse que Mindelo e Cabo Verde precisam de um novo conceito. Qualquer pessoa com o mínimo de vivência faz este diagnóstico. Como dizem para ver a realidade de uma ilha é preciso sair dela ou não fazer parte. Se querem turismo exportação etc é preciso dar uma volta a 180º. Senão a solução é dir esmola eternamente, pois turismo ou industria superficial e desorganizada só prejudica. Não se pode tomar esta crítica pelo aspecto negativo mas sim ver onde se deve melhorar. Mas é verdade que a ilha precisa de dar uma grande volta e entrar pelo menos na era do progresso social e económico para voltar a ser uma grande ilha como foi outrora.

Ayrton do Rosario disse...

turismo de cruzeiro ta da algum kosa é pa Enapor e agencias. pa povo de S.Vicente el k ta da nada, jas kta comprá nem kez navizim de chifre.kme, ex ta kme na bordo

Anónimo disse...

Eu também concordo com o ponto de vista do Tony Park e de muitos que tenham uma visão do mundo para além do horizonte da tapadinha por muito dura que seja para os mindelenses. Este artigo cai como uma bomba na hora H, e quem ama S. Vicente esta ilha bonita a sua gente só pode ficar triste com o que vê ou seja engolir sapos. Este homem não estava para tratar do ego e o nacionalismo bacoco dos cabo-verdiano, nem veio para fazer dançar coladeira mas sim fazer o seu turismo, e sim resolveu escrever uma artigo dizendo o que sentiu a sua percepção da terra, como viu as coisas no curto espaço da sua estadia. Se exagerou não cometeu nenhum pecado pois eu já vi pior na minha terra soncent.
Oxalá que faça pensar aos 'Papas' dos cluster pois como bem disse o Tonecas é verdade, CV é mais basofaria de crioulo fechado no seu umbigo. Mais uma razão para ampliar as nossa críticas aos 40 anos de pseudo-desenvolvimento, e eu digo andar para traz em toda a linha não obstante uma aparente desenvolvimento material sustentado pelas ajudas.
O diabo é que esta ilha tem um bom potencial mas não tem visão. As geração actual comparada com a do início e até meados do século passado é uma vergonha. É outro S. Vicente. O serviço o atendimento numa repartição num bar num restaurante,é uma lástima de má qualidade a displicência é total, a bandalheira, e o nivelamento feito para baixo. Não existem lojas de qualidade, actividade cultural etc.
Qualquer pessoa com o mínimo de vivência faz este diagnóstico. Como dizem para ver a realidade de uma ilha é preciso sair dela ou não fazer parte. Se querem turismo exportação etc é preciso dar uma volta a 180º. Senão a solução é pedir esmola eternamente, a semi-indigência, pois turismo ou industria superficial e desorganizada só prejudica. Não se pode tomar esta crítica pelo aspecto negativo mas sim ver onde se deve melhorar. Mas é verdade que a ilha precisa de dar uma grande volta e entrar pelo menos na era do progresso social e económico para voltar a ser uma grande ilha como foi outrora.
Eu sempre disse que Mindelo e Cabo Verde precisam de um novo conceito: um autêntico Resgate, desculpem-me os amigos que detestam esta palavra, pois mais fundo só resta o abismo. Tem que voltar a página dos 40 anos, de atraso e sub-desenvolvimento. Mas sinceramente estou muito preocupado com os nossos recursos humanos que a propaganda dizia que era a nossa riqueza. O que se tem visto nos últimos 20 anos não é nada encorajador. Temos que reclamar a nossa ilha de volta e lutar pela Regionalização para dar a volta á situação.

Anónimo disse...

Q o turista disse verdades disse, mas também exagerou. Sem bem informar, lançou-se para mais uma aventura, 'às escuras' por sinal, e quis encontrar o que tinha deixado para trás!? Penso q de mente aberta, nunca se espera do desconhecido as mesmas coisas a q estamos habituados a ter. Sábado passado, turistas criticavam o controlo na 'fronteira' do AICEvora, riam-se pq a ilha não tem água, não tem árvores, se calhar só tem peixe, etc...e q de facto as férias iam ser interessantes, irónicamente falando claro.
Muitos comentários e críticas de alguns turistas são feitos para ajudar o nosso turismo, apontando os pontos a melhorar e aconselhando q pontos e onde elimina-los, mas outros quantos são para ignorar quando feito de forma tão destrutiva, pq acredito q são, na maioria, feitos por turistas q se consideram aventureiros(mas na verdade aquele espírito aventureiro não existe) q já não sabem onde nem como gastar o dinheiro, a pensarem q onde quer q vão devem ser tratados como reis.

Anónimo disse...

falar verdade nao E crime , pois sao vicente esta enterrado , sao vicente preciza de uma mao gigante para sair da situacao que esta atravessando,apezar de a ilha ser bonita mas na verdade E que falta muitas coisas para atrair os turistas , os turistas gostam de andar pelos campos as montanhas as praias e ter bons restaurantes e tambem ter um bom atendimento local , em s.vicente so a o centro do mindelo para os turistas ver , temos praias ,mas as mesmas deveria ter mais atencao da camara municipal ,e tambem poderiam investir em outras areas do mindelo para que os turistas tivessem mais algos de pesquizar

Anónimo disse...

Cabo Verde tem que deixar de se fechar sobre si mesmo. Se queremos obter receitas do turismo temos que apostar bem forte na qualidade do nosso produto. Temos que ter restaurantes decentes, com comida apelativa, artesanato local bem explorado, Pontos de Turismo e Informação bem estruturados, serviços de guias formados e credenciados (já nô ca ta na tempe de cicerone de ponta de praia). Temos que ter um circuito aos monumentos e pontos históricos bem definidos, e cuidar do nosso património histórico em vez de demoli-lo. Temos que ter cursos de formação superior na área de Gestão e Turismo e escolas de formação profissional para a área da hotelaria e turismo - para formar animadores culturais, técnicos de turismo, recepcionistas, Chefes , pessoal de servir à mesa, etc. etc. , para que o pessoal do sector se apresente como um verdadeiro profissional do turismo, mais dinâmico e sobretudo que saiba comunicar em inglês que é hoje a língua universal. Temos que manter as nossas praias limpas e organizadas e estimular a implantação de alguns restaurantes nelas não de qualidade e dignidade, não os botecos mal frequentados que afugentam até os da terra. Temos que disciplinar os serviços de táxi que exploram as pessoas com as tarifas arbitrárias e exorbitantes só porque são estrangeiros. Os estabelecimentos comerciais e restaurantes devem estar devidamente identificados com letreiros. Tenho a certeza que se vocês forem a uma cidade onde não há informação sentem-se perdidos e se não houver nada para ver ou fazer ou se tudo for de má qualidade “bsot ta ba bá tchorá bsot dinher”. Enfim há uma série de coisas que deviam ser feitas e não são e então quando há uma crítica mordaz o pessoal fica todo ofendido (pessoal ê piluuude!!!) dizendo que o turista não conhece a realidade do país e que devia ficar na sua terra etc. etc. O turista não tem que conhecer a realidade do país e ele vem cá pela primeira vez e as primeiras impressões é que valem. Pessoas dizem que ”temos o que temos” mas acho que é preciso apresentar bem o que temos para se poder vendê-lo. O governo têm um papel importante a jogar nesta matéria e não pode demitir-se dele que é fomentar o turismo. E para isso ele tem que ter um plano de desenvolvimento do turismo, a médio longo prazo e isto inclui entre outras coisas, financiamentos pois sem dinheiro não se chega lá. Não vamos esperar que sejamos demolidos por críticas que ressoam ( estamos num mundo globalizado) e contribuem para que o turista evite Cabo Verde como destino ou então que faça “uma vez a Cascais e nunca mais”, para metermos mãos à obra pois, depois do colapso recomeçar é mais difícil e envolve maior esforço. Mas também é preciso mudar de atitude. Então pessoal, queremos ganhar dinheiro com o turismo ou não? Se sim, metam o orgulho no bolso, mãos à obra e vamos trabalhar para que isto se concretize. Bocas não levam a parte alguma. Fica aqui uma pergunta: Porque é que a Madeira consegue ganhar muito dinheiro com o turismo? Por acaso tive a curiosidade de pesquisar o que autor escreveu sobre a Madeira durante a viagem no mesmo cruzeiro, MSC Sinfonia em http://www.heraldsun.com.au/travel/world/visit-the-island-of-madeira-aboard-the-msc-sinfonia/story-fnjjva7c-1226832814529.

Anónimo disse...

O Sr Tony Park foi muito suave com S.V., se ele tivesse enveredado pelas zonas e bairros residenciais daqui, sairia com os cabelos em pe'. Muitos mindelenses não conseguem ver a m... em que estamos metidos, da mesma forma for que as bacterias em coisas podres. S.V. não tem solução enquanto continuarmos a confundir partidos com equipas de futebol. Todas as ilhas desse pais sofrem da mesma doença. Agora querem a força nos meter em africa e cedeao. E' o fim da esperança.

Anónimo disse...

Essa sempre foi a realidade deste País. Não precisa vir um estranho para nos dizer isso ou será que a sua palavra tem mais força por ser estrangeiro ou "Branco".

alfredo soares disse...

Estava meio tonto da viagem, ou então com uns caquinhos a mais ... eh eh

John mattos disse...

Eu nao percebo por que é que o Daivarela, ficou fulo, com o retrato que o jornalista fez de Mindelo! Eu também sou jornalista, vivo no exterior, e acabo de visitar a minha Ilha natal! Curiosamente, fiz o mesmo percurso que o jornalista australiano, mas em sentido contrario! Querem saber o que penso desse Soncente, que mais nao é que uma ilha morta, onde os habitantes parecem zumbis? Entao estejam atentos ao que ja comecei a escrever nas paginas de Opiniao da Semana, como sempre na parte das criticas, como um leitor anônimo!

Zeca Almada disse...

Gostos nao se discutem.
Mas esperemos que consigam fazer algo sobre as criticas.
Algumas das criticas sao verdade, mas por isso vamos la ver se alguém compreenda e tente melhorar para o futuro.

fia alves disse...

i am sorry mr/mrs anonimous...your comment is not understandable. people that have left a comment regarding the article, have accepted some facts where the criticism is warranted. it seems to me that most cape verdeans have understood what needs to be done. so please keep your negativity to yourself!

Enviar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | coupon codes