9 de setembro de 2012

Um crioulo romântico é outra coisa (com soco no olho e tudo)

São incontestavelmente um dos maiores grupos da história de Cabo Verde com composições imortais. Os Bulimundo realmente “buliram o mundo crioulo” com as suas actuações e também como um dos grupos pioneiros nos efeitos especiais nos seus vídeo-clips. Para saber mais sobre o grupo click aqui (em francês). 

Agora, se a música “Si bu dam bu leti” do conjunto Bulimundo representava o expoente do romantismo do badiu [forma carinhosa como são conhecidos os habitantes da ilha de Santiago] na década de oitenta, espero que muita coisa tenha mudado desde então. Nem que seja pela integridade física das badias. É que não há corpo que aguente tanta demonstração de carinho e afecto. 

Video-clip “Si bu dam bu leti” dos Bulimundo

Veja uma parte da letra: 

“…Minina um ta furabu odju 

Ah, minina um ta mordeb oreja 

Minina um ta dabu cu pedra 

Ah minina um ta siridjabu bico 

… (não entendi essa parte) 

Bo k ê txom di massa pe…” 


A tradução para o português desta declaração de amor é qualquer coisa como: 

“Menina vou-te furar o olho 

Ah, menina vou-te morder a orelha 

Menina te dou com pedra 

Ah, menina vou-te esfregar o bico 

… 

Tu é que és chão de amassar o pé” 



Isso sim é romantismo. Flores? Nã… vou mais é furar-te outro olho. Enquanto ouço a música pergunto a umas badias o que significa estes versos e elas garantem-me que é uma forma de conquistar uma dama e que por vezes badiu pode ser "brabu". 

Durante muitos anos assisti na televisão, ouvi na rádio e adorava esta música, apesar de não entender por completo o que falam. Ainda hoje aprecio as músicas do grupo que deu visibilidade ao estilo Funaná e que introduziu instrumentos amplificados para sacudir Praia e depois Cabo Verde inteiro.

Infelizmente sou um gajo pouco romântico, por isso só posso oferecer uma mordidinha na orelha a uma menina. Candidatas?

12 comentários:

mr vadaz disse...

Há muitas figuras de estilo nessa letra, depois explico-te melhor. Penso que se trata da "forma de conquistar uma dama" à la badiu mas seguramente não se trata ´literalmente da "brabeza" do mesmo.

Esta música é dos melhores funaná escrita até hoje, a letra é sofisticada e remete-nos à uma paixão que se quer explicar entre o gesto, palavra, emoção e, claro!, a maneira do badiu.

Baia verde disse...

É que kel musika la ta retrata forma modi ki badiu ta konsistaba mudjer...

"Minina hum ta dau ku pedra" é uma metafora ou seja
Antigamenti badiu pa kongista mudjer é ta bataba el hum pedjinha dentu seio... em mais mas mais

Criola di terra disse...

Como boa defendora dos badius vou te dizer que concordo com as palavras do MrVadaz. A tua tradução da música é de forma literal e parece mesmo uma guerra, mas são figuras de estilo que se usam...e garanto-te que ainda hoje econtras badius que conquistam com estas frases de relíquias. Quando se diz que "badiu e brabu" é para dizer justamente isso, quem não está acostumado a esta linguagem a classifica assim mesmo...sou uma delas...e essas cantadas não me pegam, hoje, mas se fosse antigamente não garanto.
ABC, gosto de ver um sampadjudo apreciador de língua badia. ;)

dai varela disse...

@mr vadaz Eu sou apaixonado pela música, mas confesso que não entendo algumas partes.
Agora, aceito que sejam figuras de estilo usadas para conquistar as badias, mas que são algo "brabus", lá isso são.

dai varela disse...

@Baia verde
só espero que esta pedra fosse mesmo pequena, hehehehehhehee (brincadeira)

dai varela disse...

@Criola di terra tá bem, tá. Vou recordar estas palavras e quem sabe poderei ensinar meu filho a conquistar desta forma. "Diz-lhe que vais furar-lhe o olho, filho. Elas gostam"
Sou apreciador sim...

mr vadaz disse...

@dai varela

Pronto, já complicaste tudo!, agora nem sequer vou dar-me ao trabalho de explicar-te alguma coisa.

Se tu próprio confessaste que não entendeste alguma parte e aceitas que poderão ser figuras de estilo, como é que tens a ousadia de dizer que são algo "brabu"? Vá la Dai!

Não te esqueças desta deixa: "uma informação só é verdadeira, se ela estiver completa e verdadeira".

dai varela disse...

@mr vadaz
Quando disse que não entendi uma parte estava a fala da frase que é dia aos 01:47

Parece que queres defender estas figuras de estilo como sendo das mais meigas que se pode galantear uma badia. Pois, mas aposto que não as usas para conquistar,mesmo achando que não são "brabas". Confessa lá.

mr vadaz disse...

@dai varela

Dai,

Não é questão de querer defender ou não mas sim de percebê-las e contextualizá-las.

Numa coisa tu tens razão: não as uso a não ser que queira levar uma boa chapada de uma badia/cabo-verdiana. Porquê? Os tempos são outros!

Adenda: "txom di massa pe" é diferente de "txom pa massa". São duas coisas bem distintas!

mr vadaz disse...

@dai varela

Dai,

Não é questão de querer defender ou não mas sim de percebê-las e contextualizá-las.

Numa coisa tu tens razão: não as uso a não ser que queira levar uma boa chapada de uma badia e/ou outra cabo-verdiana qualquer. Porquê? Os tempos são outros!

Adenda: "txom di massapé" é diferente de "txom pa massa pé ". São duas coisas bem distintas!

dai varela disse...

@mr vadaz
Já agora poderias era explicar-me, por favor, quais as diferenças. A mim parecem iguais.

mr vadaz disse...

@dai varela
"Txom di massapé" é um tipo de solo argiloso, duro para as lavouras e caracterizado pelas várias fendas quando estiver seca; no fundo, é um chão duro e difícil de cultivar.

"txom pa massa pé" é exactamente o que traduziste: chão de amassar o pé. também há uma outra tradução.

Abraço

Enviar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | coupon codes