6 de maio de 2012

Humor crioulo toma conta dos palcos

Alunos do 14º curso de Iniciação Teatral do CCP-IC
Ainda a dar os primeiros passos em Cabo Verde, o "Stand-up Comedy" promete tornar-se na nova referência no entretenimento nacional. A estreia deste "humor de cara limpa" recebeu os maiores elogios do público em São Vicente e já há alguns actores que querem investir e lucrar com a arte de fazer rir em bares e restaurantes.


O "Stand-up Comedy", que é uma forma de fazer humor com um comediante em pé à frente do público, é a grande novidade do curso de Iniciação Teatral do Centro Cultural Português no Mindelo que já vai na sua XIV Edição. Foi introduzida este ano pela monitora Janaína Alves, que notou a necessidade de trazer esta vertente divertida de entreter o público. Após participar num workshop sobre esta matéria em São Paulo (Brasil), "decidimos avançar com este conteúdo agora porque acreditamos que há um grande potencial no cabo-verdiano para fazer rir e para rir também", afirma esta encenadora brasileira, que vê também no "Stand-up..." uma forma do actor ganhar dinheiro com as suas habilidades.

Janaína Alves diz que há um
grande potencial no caboverdeano
para fazer rir e para rir também
Actualmente, são 23 finalistas, com idades compreendidas entre os 14 e os 61 anos que aceitaram o desafio desbravar caminhos num ramo que é pouco explorado em Cabo Verde. Para isso precisam criar seus textos originais que são construídos a partir das suas vivências do dia-a-dia e subir a um palco sem acessórios, caracterização ou cenário, para fazer rir a audiência. E a estreia numa casa cheia aconteceu no dia 27 de Março, no Centro Cultural do Mindelo, onde os comediantes conseguiram prender seu público e arrancar gargalhadas constantes por causa das suas histórias cheias de humor crioulo. Apesar da "margem de erro" pela introdução desta novidade, a monitora mostra-se satisfeita com a boa reacção do público.

"Esta é uma técnica muito difícil porque não se trata de piadas pré-feitas. Isso exige mais do actor porque não são todos aqueles que conseguem escrever, ainda mais com humor", diz Janaína que se mostra surpresa com a qualidade apresentada até agora pelos formandos, tanto nos textos como na técnica. "O cabo-verdiano já é talentoso por natureza. Só é preciso alguém introduzir alguma coisa para que o absorvam rapidamente", remarca Janaína.


LUCRAR COM O RISO DOS OUTROS

Renato Lopes quer apresentar-se
em bares ou restaurantes como
uma actividade cativante e lucrativa
Considerado como um dos ramos mais duros do entretenimento, o "Stand-upComedy" requer uma mistura de escrita, timing e entrega perante uma audiência ao vivo. Mesmo assim, são vários os alunos do curso que pretendem investir nesta vertente e explorar o potencial que ele tem. Um deles é Renato Lopes, actor do grupo Craq’Otchod, que considera esta como uma das coisas mais difíceis que já fez no teatro. "Pensei que fosse só fazer as pessoas rirem, mas vi que envolve muito trabalho prévio. Sinto que ainda não consegui lá chegar para conseguir manter o público agarrado até ao fim da minha apresentação, mas estou a trabalhar para isso", confessa este actor, que pretende fazer um grupo e apresentar "stand-upcomedy" em bares ou restaurantes.

Elba Lima pretende criar um
“stand-up” para crianças como
forma de oferecer outra animação
Quem também vê nesta novidade uma oportunidade a ser explorada é Elba Lima, do Teatral Infantil do Mindelo – TIM. "É outro tipo de teatro. São coisas que não costumamos fazer aqui", diz a actriz, que coloca a possibilidade de criar um "stand-up" para crianças como forma de oferecer outra animação. O certo é que o "Stand-up Comedy" quer marcar seu lugar no panorama teatral cabo-verdiano e a mais recente apresentação aconteceu na passada sexta-feira, 27 de Abril, no Centro Cultural do Mindelo (em São Vicente), a menos de um mês da exibição da primeira.





Veja também:


0 comentários:

Enviar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | coupon codes