5 de julho de 2011

5 de Julho: eu não estava lá... mas me contaram

Eu não estava lá, disseram-me que houve chuvas que se confundiram com lágrimas de mulheres e de homens, dos mesmos que lutaram destemidamente de arma ao punho dentre matas e assobio de balas contendo tropas inimigas mas que nesse dia não conseguiram conter um soluço, depois outro e mais até que os pingos vieram para disfarçar, como no tempo em que nas matas camuflavam para surpreender um inimigo que tinha uma ideologia, tinha um perfil. 
 
 
Gostou do blog? Então click aqui e siga as novidades de daivarela no Facebook
 
 
Eu não estava lá, mas hoje sei que aqueles homens e mulheres, simples, imaginavam um país diferente daquele que temos agora. Hoje o inimigo mudou e ele já não vem mais de fora. Hoje as armas mudaram de mãos e o inimigo perdeu a ideologia para abraçar a violência gratuita, a ganância e o ódio. Vivemos num tempo em que os melhores estrategas militares não sabem como fazer para enfrentar um exército de adolescentes e jovens que deambulam pelas ruas espalhando o medo e a insegurança sobre um povo que outrora lutou destemidamente por um Cabo Verde melhor. Era por isto que tanto lutaram? 

Eu não estava lá… mas me contaram.


6 comentários:

MRVADAZ disse...

E, eu tenho medo do que eles disseram!

Anónimo disse...

e qual a solução?
Dá mais valor ao teu post indo mais além, mostrando a tua visão, a tua solução. , o que tu sugeres que seja feito?

leticia disse...

poxa man ja bô metem medo na corpo agora manera que mi tava conche terra nhas pais,con guardacostas?

daivarela disse...

MRVADAZ
não te preocupes que eu não acreditei em tudo que contaram.

daivarela disse...

Anónimo
'brigada por acreditares que eu possa ter uma solução, mas no máximo posso dar algumas dicas (num próximo post, talves)

daivarela disse...

leticia
ka bo preocupa. basta bo sai na volta ma daivarela bo k te ba tem prublema

Enviar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | coupon codes