16 de junho de 2011

Gilson Rodrigues treina no Mindelo com ambição de medalha nos Jogos Olímpicos

Gilson Rodrigues

Gilson Rodrigues, 26 anos, tornou-se em 2009 o primeiro atleta a representar Cabo Verde num Campeonato do Mundo de Taekwondo, na Dinamarca. Presentemente, treina-se em São Vicente com ambição de trazer uma medalha dos Jogos Olímpicos de Londres’2012.


Gilson é atleta do Benfica de Lisboa (em Portugal) e conta com um palmarés de respeito, onde se incluem 11 medalhas de ouro, sete de prata e 28 de bronze em competições internacionais e uma presença no Top’10 do Ranking Africano em 2010. Enquanto prepara-se para lutar por uma medalha em Londres, vai ensinando e promovendo o Taekwondo a mais de 300 crianças no Mindelo.


Gostou do blog? Então click aqui e siga as novidades de daivarela no Facebook

- Como é que o Taekwondo entra na sua vida?

Gilson Rodrigues - A entrada do Taekwondo na minha vida foi tudo por acaso. Em 1998, parti com meus pais para Portugal com a ambição de ser jogador de futebol e no segundo dia após chegar a Lisboa fui jogar bola no campo do bairro. Como não era conhecido na zona fui colocado como guarda-redes num jogo em que somente a minha equipa atacava. Enquanto esperava fui fazendo umas acrobacias na barra da baliza, ou seja, algumas ‘macaquices’ que tinha aprendido no Grupo Acrobatas de Pedra Rolada, em São Vicente. Nisso chega-se um rapaz a falar-me do Taekwondo e dois dias depois, com 14 anos, eu já treinava este estilo de artes marciais. Foi amor a primeira vista.

Quando foi a sua estreia em competições de Taekwondo?
Quando estreei em competição, já tinha 16 anos e foi numa categoria aberta numa competição em Bruxelas, Bélgica. Participei como júnior lutando contra seniores e ganhei a medalha de bronze neste torneio. Nisso a minha fama começou a espalhar-se enquanto todo mundo perguntava quem era aquele ‘preto folgado’ que não respeitava sua categoria e que ganhava medalha contra pesos superiores. Depois dessa estréia em grande passei dois anos consecutivos (2001/2002) a vencer torneios e sagrando-me campeão nacional de juniores em Lisboa. Com dezasete anos fui representar Portugal na Taça Ibérica (Espanha) onde consegui a minha primeira medalha de ouro.

“DESCOBERTA” DO BENFICA

Como é que o Benfica aparece na sua carreira?
O Benfica já vinha seguindo meu percurso com atenção. Foi só depois de vencer dois Campeonatos Nacionais que recebi em 2009 a proposta para fazer parte da equipa do Benfica. Isso demorou algum tempo porque eles tinham um grupo fechado e para que um atleta conseguisse uma proposta ele tinha que ter um bom currículo ou um bom padrinho. Eu tive a sorte de ter os dois. A minha estreia pelo Benfica foi na Taça de Portugal onde fui eliminado nos quartos-de-finais. A minha primeira medalha de ouro para os encarnados foi ganha na Distrital de Lisboa. Outro grande feito foi a de ter sido o primeiro atleta nesta década a ganhar uma medalha no Campeonato Nacional, onde consegui uma medalha de bronze.  

Sendo o único atleta do Benfica neste momento, como é que a equipa vê a sua estadia em Cabo Verde?
Eu tenho um plano de treinos, que me é enviado semanalmente e que tenho que cumprir. O Taekwondo tem a característica de ser um desporto individual e é quase como o atletismo. Tudo o que tenho que fazer é seguir o plano de treino porque tenho uma bolsa olímpica do Comitê Olímpico Internacional e não estou aqui passando férias. Estou aqui trabalhando para competir nos Jogos Olímpicos e para além disto tenho as minhas metas traçadas com o Benfica. É verdade que não tenho ninguém do Benfica controlando para saber se fiz as minhas horas de treino mas eu sei que se for competir e perder um torneio por falta de preparação física, no próximo já não serei chamado. Para além do plano de treino do Benfica tenho ainda outro plano de treinos que meu seleccionador, Joseph Pina, envia-me dos Estados Unidos da América para preparar os torneios em que iremos representar Cabo Verde.




Para além de treinar Taekwondo, o que mais está fazendo no Mindelo?
Sou um dos quatros atletas que receberam a bolsa olímpica para me preparar para os jogos de Londres 2012. Estou usando parte dessa bolsa olímpica para divulgar a modalidade através de palestras e treinos gratuitos aos jovens. Neste momento tenho cerca de 300 alunos que ensino Taekwondo. São na sua maioria alunos das Escolas Secundárias que aprendem a modalidade nos pavilhões desportivos das próprias escolas. Tem sido um desafio gratificante trabalhar com nossas crianças e posso garantir que há jovens promessas capazes de singrarem-se no Taekwondo. Isso é o que me tem entusiasmado com esses meninos.

ORGULHO CRIOULO

Porquê São Vicente?
Quero qualificar-me para os Jogos Olímpicos, mas também quero que se diga que esse atleta que representa Cabo Verde saiu realmente destas ilhas. Neste momento sou o único atleta da Selecção de Taekwondo de Cabo Verde que nasceu aqui e porque sou muito patriota decidi fazer a minha preparação no País. Temos que começar a pensar que os cabo-verdianos residentes podem ter esta oportunidade de desenvolverem e representarem Cabo verde de forma digna apesar de que o principal problema é com o espaço de treino. Estou treinando em São Vicente mas poderia estar na Praia onde temos uma equipa de Taekwondo e um treinador que já se disponibilizou para dar-me toda a ajuda necessária. Mas um dos grandes objectivos em S. Vicente é também mostrar aos jovens nas escolas e na rua o que é o Taekwondo e desenvolver esta modalidade na minha terra natal.

Quais são as ambições para os Jogos Olímpicos de Londres’2012?

A minha primeira meta é estar presente no evento e depois é lutar por uma medalha. Já levo onze anos de competição de Taekwondo e todas as vezes que entrei foi para ganhar. Seja nos Campeonatos de Mundo ou Jogos Africanos sempre entro para ganhar e por isso que os Jogos Olímpicos não vão ser diferentes. Sei que enquanto nós treinamos quatro horas por dia, há países como Azerbaijão, Coreia ou Espanha que treinam oito horas por dia, vivem em centros de alto rendimento e têm outros incentivos. Vou trabalhar para não ser apenas mais um, mas sim para lutar de igual para igual.


Resultados de Gilson Rodrigues
3 Títulos Nacionais em Portugal por equipas.
4 Taças de Portugal por Equipas.
2 Títulos Nacionais Individuais em Portugal.
3 Taças de Portugal.
11 Medalhas de Ouro em Torneios Internacionais.
7 Medalhas de Prata.
28 Medalhas de Bronze.


Publicada (também) no Jornal A NAÇÃO

2 comentários:

Dóris Lopes disse...

Força lá Campeão. És o nosso orgulho.
Cabo Verde precisa de gente assim, jovem, empenhado, com muita força de vontade e muita vontade de lutar, lutar e vencer para ver o nosso país crescer... Cabo Verde está contigo Gilson Rodrigues. Nós campeão.... DNB Primão.

lobosnegros "ride to live live to ride" disse...

olá gilson.não sabia que estavas em cabo verde.fico contente por estares em casa.
Tive o prazer de estar contigo em momentos importantes da tua carreira desportiva como selecionador convidado pela federação de cabo verde
para três torneios onde tu estiveste ao teu melhor,open de portugal,ponte vedra e taça das nações,onde conquistamos uma taça. que está comigo e também é tua:-)
desejo que consigas atingir os teus objectivos e nunca te esqueças dos momentos que tivemos juntos.um grande abraço de amizade profunda.
professor Mário Trigo.-
www.lobos-negros.com

Enviar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | coupon codes