19 de outubro de 2010

Um Crioulo n'descontra [Capítulo 6]

Porque as pessoas não estavam a acreditar em mim quando lhes contava que tinha evitado um caçubodysó com um soco – resolvi escrever sobre isso. Para verem que não estava inventando histórias em que eu era o herói. Foi assim que aconteceu:

Era um domingo de noite e eu vinha de uma matinee num bar chamado Paradise (onde por acaso só havia perigetes que se sentiam o último biscoito do pacote). Como eu não estava para me cansar com umas aborrescentes que dançavam de forma ruidosa para que todos as notassem, decidi procurar a minha caminha. A propósito, a minha caminha é sebim.

Vinha eu embrenhado nos meus pensamentos. Quando passava numa parte mais escura do percurso, levantei os olhos do chão e dei de caras com eles. Eram dois jovens de estatura média. Estavam ambos com um capuz na cabeça e um lenço a tapar a cara, deixando somente os olhos a mostra. Avançaram para mim.

Abro um parêntese para dizer como eu estava vestido: com os cabelos encaracolados pelo gel (lindo), eu trazia uma camisola preta (colada ao corpo) de tecido fino que havia comprado na Espanha e que me ficava a matar, um Jean e sandálias. Sobre a camisola tinha um cordão dourado (não cheguei a saber se era de ouro ou não. Espero que seja de fantasia).

Como ia contando, o assaltante mais forte avançou na frente. Esticou a mão esquerda para o meu pescoço enquanto dizia “bem li bem”. Senti-o agarrar-me a camisola, rasgando-a. Num movimento rápido, rodei o corpo e com a minha mão esquerda retirei-lhe a mão. Rapidamente, fechei a mão direita e mirei o queixo. Foi um soco só (eu sou mesmo mau. Não sou forte, mas sou mau). O gajo não conseguia agüentar-se em pé e o segundo assaltante teve que vir em seu auxílio, agarrando-o por trás para que ele não caísse. Só depois de desferir o soco é que reparei que o gajo tinha uma faca na mão direita.

Saí a correr. Atenção, não foi por covardia, mas sim porque eu estava de sandálias. Não fosse isso, teria ficado e continuaria a dar-lhes uns bofetões naquelas caras de pouca-vergonha. Corri uns cinqüenta metros e parei porque notei que a minha camisola estava rasgada (foi quando fiquei chateado e eu chateado sou fudido) e também porque se eles resolvessem seguir-me saberiam em que casa eu entraria. Parei e esperei que o assaltante saísse do K.O. e viesse procurar a sua vingança. Apanhei três blocos de pedra e quando eles apareceram na esquina começou a chuva de pedras. Saíram a correr com o rabo entre as pernas. Aproveitei para andar rapidamente (ou seja, correr) para casa.

Só depois de que fui tomar banho é que notei que tinham levado o meu cordão dourado. Sorte a deles porque se tivesse notado antes teria ido buscá-lo, a força (acho que já tinha dito: sou mau). Por causa da adrenalina que corria-me pelo corpo, quando fui dormir nesta noite eu passei todo o meu sonho destruindo aliens que tinham invadido a Terra. Mas essa é outra história.


19 comentários:

Dóris Lopes disse...

Vai-se lá saber se é verdade ou mentira... Pelo sim, pelo não.. ok day um t credita na bo... Bijim

Neu Lopes disse...

ok, ok.
Dizem que imaginação tem limite. Mas tu provaste o contrário. Bazofe!! Aliás, não é bazofe, é BOJOF!

Eunice disse...

Ê essim prop nha irmon kerido, caba quês tut, ê un poca vergonha caba que imagem de nos terra, que quês gente sem cultura educação e princio. pÔS PEDRA NA tOK

Anónimo disse...

Ahahahahahahhahahahahaha!
Jam da uns bons gargalhadas ma es estória!
PS: N te credita na bo!

fabio disse...

um gosta tcheu des historia continua essim nha tio!!!

daivarela disse...

boa nhe subrim, um gosta de sabé k bo tiv prei. bijim

Anónimo disse...

hahahaahahaha ta bem debo um k sabe se um te credita mas ta bem ta......um ta pob come nha guarda costa hahaahahaha bijim dnb

daivarela disse...

Bo pode acreditá pq é tud verdade. Bo pode contratam como bo grauda-costa (pk mi é prob mau), desde k bo dzem bo é knhe

Tenisha disse...

Day um kurti txeu bo blog... parabens....bijim tud de bom

daivarela disse...

Bom saber k bo tive por aki, Tenisha. Da fala. KISS

Leticia disse...

hahahahahahhaha
uma camisola que te fiaba de morte?
escreves muito bem
pero esa historia de creivel ten pouco

daivarela disse...

'brigada Leticia
+ é verdade... tudo

Leticia disse...

ok
bom ten momentos que uma tinha coragem e nao sabe de onde
te vou a conceder o veneficio da duvida
gostei a parte que descrivias a tua vestimenta
e andas na rua mirando o xao??
esperas encontrar alguma coisa??
hahahhahaa

daivarela disse...

assim k ando Leticia
sem pressas
pq a vida é curt

Leticia disse...

por isso tens que viver depressa

daivarela disse...

intensamente, sim.

Nezi_reis disse...

hehe, bo divia dá aulas de defesa pessoa Dai :P

daivarela disse...

basta bo precisá de um gax mau pa fronta bo dam fala

Batista disse...

Dai, en ca sabe ma algum ca ti ta bate dret nesse historia real de dois astrofes...ma como ja bo dze kenha é mi pa fla não. hihi

Enviar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | coupon codes