14 de junho de 2015

Criativos de Cabo Verde: parem de minar o caminho aos jovens autores


Para mim é triste ver criativos em Cabo Verde a defenderem a ideia de que os jovens não devem lançar livros. Entristece-me. 

A mensagem que esses criativos passam é de apoio à política de não apoiar a produção literária nacional. Estão a dizer aos políticos "Não vale a pena investir nos novos autores e se tiverem algum dinheiro devem canaliza-lo aos autores consagrados". Triste.

É ir completamente na contramão do que se faz em mercados literários de verdade. Veja-se o exemplo do Brasil. Apesar de terem grandes autores mundiais ainda continuam a apostar em financiar a publicação de novos e jovens autores através também de concursos.

Aliás, quem acompanha meu blogue deve ter notado os vários concursos que partilho aqui. Neste momento apenas publico os novos concursos internacionais neste Portal da Juventude de Cabo Verde. E estes são apenas os concursos em que os autores de Cabo Verde também podem participar.


Excelente. E sabem o que eles dão como justificativa?

“Os concursos literários sempre tiveram papel fundamental na revelação de novos talentos da literatura brasileira. Na década de 1930, o poeta alagoano Lêdo Ivo, morto em 2012, recebeu o primeiro impulso para sua carreira ao vencer uma disputa de contos da “Revista Carioca”, aos 14 anos. Anos mais tarde, Fernando Sabino e Clarice Lispector, ainda jovens e desconhecidos, pela primeira vez seriam reconhecidos pela mesma publicação…”


Meu apelo aos criativos de Cabo Verde: parem de tentar minar o caminho aos novos autores.

Para uma explicação melhor sobre meu ponto de vista nesta área, sugiro a leitura deste artigo em que discordo da ideia defendida pelo escritor caboverdeano Germano Almeida.

0 comentários:

Enviar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | coupon codes