14 de junho de 2014

Os aeroportos mais complicados de Cabo Verde para os pilotos do Simulador de Voo



Para quem não conhece o Simulador de Voos (Flight Simulator) a primeira ideia é de que se trata apenas de um jogo onde se ganha pontuação. Nada mais errado. Trata-se de um simulador de voo que funciona exactamente como na realidade em que até as condições atmosféricas são realistas ao pormenor. Então não é de se estranhar que seja o programa de treino de eleição de amadores e pilotos profissionais. 


O Aeroporto de São Filipe, no Fogo, é considerado como o mais difícil em Cabo Verde. A parede do vulcão reflecte um vento cruzado e perigoso conforme for a direcção da pista escolhida para aterrar. Também o tamanho da pista e os obstáculos naturais tornam-o no mais temido.


É também por isso que o multinstumentista, Hernâni Almeida, experiente utilizador do simulador, diz-me que mesmo alguns pilotos em Cabo Verde pedem-lhes o programa para praticarem antes de voar em aviões da TACV, incluindo os do Boeing 737/800 da companhia aérea nacional.

A pista curta com aproximação de montanha ajudam a fazer do Aeroporto de Preguiça, em São Nicolau, como o segundo mais complicado do país. Os ventos provocados pela sua localização num vale cria dificuldades na pista 01 e a proximidade de montanha lateral também não ajuda na aterragem.

Foi por isso que resolvi saber quais são os aeroportos mais complicados do país (e também para me manter atento por causa do meu pavor medo de viajar de avião). Mesmo que as pistas realmente perigosas do país já estejam desactivadas, ainda há certas dificuldades oferecidas pelos aeroportos e aeródromos espalhados pelas ilhas. Dos perigos e sustos apanhados quem pode dar melhor conta foram aqueles que ainda utilizaram os aeródromos, como me explica Paulo Figueiredo que faz simulação desde 1980, com os micro-computadores da Spectrum ZX 48, mas também simulação desde 1999 em cenários de Cabo Verde. 

Em terceiro lugar está o Aeroporto Internacional de São Vicente. Ventos e obstáculos juntam-se ao vale, um pouco mais largo, onde está situado para fazer as pequenas aeronaves chacolharem na chegada.

As maiores dificuldades para aqueles que viajam nos simuladores ou na vida real estão na aterragem, como afirma Pablo Alves que já tem mais de 15 anos de voos virtuais e reais e é especialista em manutenção de aviões. Claro que o maior stress é nos voos na realidade mas, como explica Deluca Monteiro, outro piloto virtual, as aproximações com ventos cruzados e pista curta com aproximação lateral com montanha são algumas das características que aumentam as dificuldades nos voos. 

O Aeroporto Internacional da Praia, em Santiago, aparece no quarto lugar entre os mais difíceis. A pista não permite "muito à vontade", principalmente para descolagens de aeronaves "full load", o que gere uma certa dificuldade, desta feita em termos de cálculos necessários para uma descolagem em "segurança 100%".

Os aeródromos de Esperadinha, na Ilha Brava, o da Ponta de Sol, em Santo Antão e o dos Mosteiros, no Fogo, fizeram muita gente tremer de medo mas hoje só funcionam no Simulador de Voo. Ainda bem que não cheguei a viajar para nenhum deles.





0 comentários:

Enviar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | coupon codes