11 de outubro de 2013

Sugestões parar melhorar a requalificação da Praia da Lajinha - António Pedro Silva


António Pedro Silva - ADECO
No momento em que se fazem obras de requalificação da praia daLajinha, Mindelo (Cabo Verde), disponibilizo aqui as sugestões do presidente da Associação de Defesa dos Consumidores (ADECO), António Pedro Silva, para melhorar a requalificação da praia mais emblemática da cidade.




António Pedro Silva
CP: 330
Mindelo
S. Vicente, Cabo Verde

tonecasilva@gmail.com
antoniopsilva_cv@ yahoo.com.br


Ao Sr.
Eng. Franklym Spencer
PCA da ENAPOR

Mindelo – Ilha São Vicente

Praia, 08 de Agosto de 2013

Assunto: Sugestões parar melhorar a requalificação da Praia da Lajinha enquadrado nas obras da expansão do terrapleno de contentores

Introdução
Há uns anos atrás, aquando da apresentação às entidades da ilha de São Vicente o projeto preliminar da expansão do terrapleno de contentores na Baía do Porto Grande, alertei para o impacto dessa construção na prática dos desportos náuticos como o “surf” e “body board” junto as instalações da ELECTRA, na pesca de lazer praticada a frente da alfandega, tendo inclusive sugerido que a ENAPOR promovesse medidas compensadoras ou contrapartidas como o acesso da população a orla do futuro terrapleno para jogging, passeios familiares e pesca de lazer e não só como acontecia antigamente no “cais acostável” e da necessidade de reduzir o impacto nos desportos náuticos etc. Na altura, que me recorde, não se contemplava o esporão junto da ELECTRA. Nessa sessão manifestei a minha surpresa pelo não envolvimento / participação das autoridades municipais.
Essas preocupações foram reforçadas posteriormente nas nossas conversas informais principalmente aquando dos “banhos” na Lajinha… que dantes frequentava com assiduidade. Na altura assegurou-me que de forma alguma iria tomar qualquer medida que pusesse em risco a praia da Lajinha.

Constatações
Constato com prazer que se contemplou na expansão do terrapleno um passeio pedonal e algo como um miradouro. Penso que o alargamento da praia da Lajinha é globalmente positivo. Contudo algumas medidas paliativas podem e devem ser implementadas.
No período colonial os sanvicentinos dispunham de trampolins para mergulhos na praia da Matiota (a praia predileta do povo, devorada pela CABNAVE), havia tanques/piscinas onde as crianças podiam nadar em segurança, havia lugares para guardar roupas, etc. Um enorme retrocesso que deveria envergonhar á todos e que urge reverter.
Durante as recentes campanhas eleitorais autárquicas praticamente todas os candidatos prometeram a população piscinas oceânicas, incentivo ao desporto náutico, etc…
É um paradoxo Cabo Verde ser um país arquipelágico, um país de marinheiros e não competir em natação, mergulho, etc.. e pior, onde a maior parte da população não sabe efetivamente nadar. Contextualize este facto no projeto do Cluster do Mar…

Sugestões de medidas
Neste momento, com um pouco de imaginação e a custos reduzidos e com enormes benefícios, inclusive para a própria ENAPOR -pois seria um elemento de marketing fantástico, a ENAPOR pode e deve:
1.       Instalar trampolins estandardizados para a prática de saltos /mergulho desportivo e de lazer quer na no esporão em construção quer no terrapleno.

2.        Aproveitar o esporão ou/e o terrapleno para construir uma ou mais piscinas oceânicas, inclusive para prática desportiva /competição bem como para aprendizagem técnicas de natação e para crianças. Boa parte da obra já está feita. É  o consumo sustentável e a otimização e utilização racional dos recursos; não precisa de bombas, nem de produtos químicos, nem de eletricidade…nem de água potável.

3.        Na zona entre o esporão e a Cabnave podem e devem ser instalados “equipamentos” simples que fazem aumentar o tamanho das ondas para permitir uma boa prática do “surf” e do “body board”. O que me consta é que esses “equipamentos” para aumentar a altura das ondas são meros sacos de areia, colocados criteriosamente. Há experiências várias: Austrália, Portugal etc… Os jovens do Clube SkyboSurf saberão melhor informar e aconselhar… gratuitamente.

4.       Com o alargamento da praia, recifes e corais irão ser soterrados pela areia. Acredito que se poderá deslocar alguns desses recifes e corais algumas dezenas de metros para não serem soterrados, permitindo a sua continuidade e sobrevivência para algumas espécies. A lajinha poderá não ser o melhor “berçário”, mas que é um berçário relevante, é com certeza.
No que for útil, poderá contar com a minha colaboração.
Cordialmente

António Pedro Silva

PS. Ao elaborar estas sugestões ocorreu-me o artigo “Para não Hipotecar o futuro do Porto Grande” que publiquei nos anos noventa no jornal A Semana, em que defendia que o terreno da Ex-Frigorífica devia ser uma reserva para expansão da zona portuária e não para imobiliária… E que o Governo e a Câmara Municipal deveriam agir de imediato… Não só se teria evitado essa aberração arquitetónica e ambiental como o país não precisaria de construir sobre o mar, poupando milhões.
CC:
·         Ministra Adjunta e da Saúde
·         Ministra das Infra-estruturas e Economia Marítima
·         Ministro do Ambiente, Habitação e Ordenamento do Território
·         Ministro da Educação e Desporto
·         Presidente da Câmara Municipal de São Vicente
·         Presidente do INDP

·         Clube SkyboSurf 


0 comentários:

Enviar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | coupon codes