9 de setembro de 2013

“Fingidores” da im(própria) Estória - poesia de MC Tavarlos


“Fingidores” da im(própria) Estória

Repleto mas nunca completo:
O acervo da alma é escravo
Juntas as angústias do mundo
Seduz sem certeza se lhe apraz o segundo

Finge que conta
Apenas quando a ironia dos outros desponta...
Morre mil pedaços numa ausência de luta
Ganha-as todas na retórica de quem escuta!

Repleto mas sempre complexo:
Não ignora
Apenas desaprende
Não esquece
Renega o que desconhece...

È ausente e confuso o acervo da vida:
Uma mistura de benesse 
E vontade esquecida...
Um querendo moribundo
reacende quando o sol desponta!

A sua esperança é ambígua:
Como a carestia de quem morre inerte na míngua
Apela a caridade
Desconhecendo o forte da sua submersa cidade.



MC Tavarlos é o pseudónimo literário da Jornalista e Poeta Miriam Lopes dos Santos.

Sem obra publicada mas em constante produção – “Sós num esquecido S.O.S” é o título de uma compilacao de poemas à procura de apoios para publicação. Um trabalho que ela gostaria de dedicar (arrecadar fundos também) aos promotores da saúde mental em Cabo Verde:

“ Porque os de corpo doente despertam compaixao... enquanto os doentes de mente perdem a ambição, geram desconfiança e repulsa e vivem uma social ou auto imposta exclusao...”







0 comentários:

Enviar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | coupon codes