8 de julho de 2013

Presidente da República surpreso com "delírio" dos jovens crioulos com a música angolana


Neste sábado (6) o Estádio Adérito Sena esteve apinhado de adolescentes e jovens que assistiam ao espectáculo "Team de Sonho". Para além de Gil Semedo, todos os outros cantores eram angolanos. Curiosamente, estes jovens conheciam (quase) todas as músicas dos vários cantores, demonstrando que a música angolana já "invadiu" estas ilhas. Se há uns anos atrás dizia-se que a música cabo-verdiana era aquela que tocava mais nas rádios em Angola, parece que os "mangolés" resolveram inverter o jogo, investir na sua música e iniciar a exportação em força para países como Cabo Verde. Será que é altura de nos preocuparmos com isto e fazer a contra-ofensiva ou não há razão para nos preocuparmos?

Quem vi por lá no evento foi o Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, que depois escreveu assim as suas impressões na sua página do Facebook:

"À noite pude «espreitar», durante algum tempo, pequena parte de um espectáculo no estádio «Adérito Sena», onde estiveram milhares de adolescentes e jovens mindelenses. Grupos angolanos de música tradicional e popular, mas também rappers e outros géneros próximos, além de Gil Semedo. Surpreendeu um pouco ver esses milhares a vibrar, a entoar de cor alguns dos cantos, a dançar, por vezes, quase em delírio com a sonoridade, a coreografia, os gestos, as palavras amiúde destemperadas dos músicos. 
Jorge Carlos Fonseca

Para quem, como eu, se formou, cultivou, dançou e ouviu mornas, coladeiras, funaná, boleros, cumbias, ou, então jazz e música clássica ou outra música dita erudita, fácil é olhar «de cima» alguns daqueles modos de expressão musical, por exemplo, dos rappers, e avaliar os gostos, o comportamento e a «loucura» juvenil como manifestação de pouca sensibilidade ou sensibilidade «duvidosa». Mas cada vez mais creio tratar-se de sensibilidade outra, linguagem diferentes, de um outro tempo. Naturalmente que outra questão é saber, avaliar, o que é mais e o que é menos, pois não deve aceitar-se o relativismo como critério «absolutamente» válido.

Pude, sim, então, tentar acompanhar, perceber, «entrar». Apenas recusei, com simpatia, convite de uma jovem que me queria ver a dar uns passos de dança num trecho de um grupo de rappers angolanos. Porquê? Sobretudo para não fazer má figura!"


Já agora, caro leitor, aproveita e veja o vídeo que fiz durante o espectáculo e intenderá o "delírio" das crioulas durante a actuação dos cantores angolanos. Ao que parece, o Anselmo Ralph é aquele que anda a fazer mais "estragos" nos corações das meninas. Devo reconhecer que o "Team de Sonho" trouxe artistas de qualidade mas é preciso dizer que no meio deles conseguiram-se infiltrar alguns que não deveriam lá estar.


15 comentários:

Miriam Lopes Dos Santos disse...

Nada contra a musica, nem contra o povo(de um modo geral)...mas espero francamente que daqui a pouco tempo(pelos interesses económicos associados), não venhamos a ouvir algo do tipo nestas ilhas:" Cheeee, Cabo Verde 'e nosso...Mangole solta o guito e manda na budjurada toda!"

Lando Freire disse...

Quem viver, verá Mirian. Mas acho que já começou.

Helmer Fortes disse...

Não vou tão longe, lembro-me perfeitamente que todos nós sabemos cantar as musicas Brasileiras da mesma forma que os Angolanos sabem cantar as nossas musicas, lembrando que somos o povo mais intercultural do Mundo vejo isso como uma diversidade cultural e não invasão cultural porque a cultura não é estática mas sim dinâmica.

Samira Pereira disse...

tenho pena que o que se tocou nesse dia seja confundido com rap. mas essa falta de informação é comum a muita gente e não é geracional. Honestamente não aprecio o género, apesar de não duvidar que tenha sido um show. o consumo de boa ou má música não passa pela nacionalidade mas sim pela educação estética que começa por poder ouvir TUDO,sem restrições. quanto à música made in cv, tal como em qualquer outro sítio faz-se muita porcaria e em todos os géneros.

Lóh Pinheiro disse...

Tenho certeza que não existe razão alguma para preocupação

Joaquim Neves disse...

a musica angolana esta no topo das preferencias musicais dos jovens no momento...e é natural que em cabo verde o jovens vibrem com um show de musica angolana....isso é apenas algo que esta na moda...jaja passará e virá outro ritmo....

Nadina Ivone Rodrigues Rodrigues disse...

Sem marcha de duvidas e a Unitel T+ está a dar a sua contribuiçao.

Joaquim Neves disse...

os angolanos são nossos irmãos e merecem isso...!!!!!!!!!!!!

Anete Carvalho Ramos disse...

säo os ciclos... os angolanos (conheço varios) conhecem, gostam e cantam as musicas de CV, paricipam na divulgaçao da nossa cultura, dos nossos estilos musicais e agora esta acontecendo o mesmo. nao acho que devemos ver isso como uma invasao mas como uma interligaçao. nao existe dominado e dominante. existe quem esta mais na moda no momento, quem esta conquistando mais a simpatia do publico e todos nos sabemos que isso é uma questa de "febre". daqui ha algum tempo isso pode mudar mas m naturalidade, nao como uma tomada de consciência de dominaçao. eu ADORO a musica do meu PAIS, nao tem nada igual mas tb adoro musica angolana... é espectacular. apesar de agora estarem aprarecendo "musicas" com um vocabuario meio improprio... mas isso tb acontece com os cverdanos...

Tatiana Rocha disse...

Bom Day, cosa tava organizod moda gaita, principalment na hora de entra, mas show em si tava mut sabe!

Alvaro Ludgero Andrade disse...

O cabo-verdiano foi sempre aculturado, porque tanta surpresa????

Odmir Teixeira disse...

kém ka ta kurti, fastá!

Anónimo disse...

Eu sou Angolano "Wisdon Dom" facebook, e muito sinceramente fico feliz em saber que a musica Angolana tb e consumida em Cabo Verde..os gosto diferem, mas uma coisa e certa nos aqui em Angola adoramos boa musica e todos nos sabemos que cabo verde e uma fabrica de bons musicos vozes e composicoes excelentes..Aqui em Angola gostamos mto da musica cabo-verdiana e o meu cantor favorito de musica Kizomba, Zouk ou Tarrachinha e o vosso Nelson Freitas granda musico e ele tem feito mto p a nossa musica como mtos outros Tito Paris, a mae grande Cesaria Evora que deus a tenha, mas nos temos as suas grande obras, Gil e mtos outros por isso nos apreciadores de boa musica sempre consumiremos musica de cabo verde pq voces sao bons naquilo que fazem parabens e continuem..adoro o vosso Pais e povo sao muito calorosos e simples..a vossa maior riqueza e o povo..

Gizela Marlene disse...

que bom saber disto ,como angolana orgulho-me ,pelos meu contempôneos abalarem a cidade criola.

Anónimo disse...

Mas atenção Cabo Verdianos...não concordo quando alguns dizem (embora implicitamente) que a vossa música é de longe melhor que a angolana, isso não corresponde a verdade, a música angolana tem muitíssima qualidade e olhem que não estou a me referir a música da nova geração, estou a falar da música angolana de raíz- a contemporânea.E naquele tempo os angolanos ja eram as referencias da música palop e africana.

Por isso irmãos, isto nao é passageiro, certamente ainda ouvirão muita boa música vinda das terras de Mandume!!

Enviar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | coupon codes