25 de abril de 2013

Lembras-te do francês doido do Lucien Malin?


Encontrei este texto e foto que faz parte do MindelInfo. Como estudei no livro que tinha o Lucien Malin resolvi traduzir do francês e colocar aqui para os leitores do blogue:

"Embora seja um completo desconhecido para a grande maioria dos visitantes do site, os outros sabem e guardam na memória uma lembrança divertida e tocante: muito mais do que um embaixador ou cônsul, Lucien Malin era o representante da França no arquipélago a partir de 1985. 

Esta personagem fictícia acompanhou os alunos na aprendizagem do francês em Cabo
Lucien Malin em frente do aeroporto de Santa Luzia
Verde; os assessores acadêmicos franceses solicitados pela Praia construíram seu caminho em torno do anti-herói, um estudioso que inventava ideias francamente loucas. O sucesso do método era, provavelmente, devido ao facto de Lucien Malin efectivamente evoluir nas ilhas, num ambiente conhecido e facilmente reconhecido pelos alunos. 

Entre as invenções bizarras de Lucien se incluem um doce Catchupa, o aeroporto de Santa Luzia, a instalação de óculos no Monte Cara (a montanha com traço de um perfil humano na horizontal, no Mindelo), uma corrida de táxi em uma ponte que ligava todos as ilhas, do sul de Maio até Brava, a indústria de guarda-chuva (em um país onde quase nunca chove, era um piscar de olhos ao Napumoceno), etc. Os autores emprestaram-lhe uma esposa e 18 crianças (17 meninas, que, aparentemente, foram uma das razões de gargalhadas dos estudantes). 

A aula termina com uma canção composta por músicos cabo-verdianos. Uma delas chamada “A Casa Azul de Tarrafal”, que vamos todos cantar em coro: 


Meu marido está em Lisboa 

Meu tio nos Estados Unidos 

Meu irmão, ele vive em Bonn 

E a minha irmã vive em Paris 


Longe no Tarrafal 

Apenas entre os Correios e a escola 

De frente para o mar tão grande, tão grande 

Há uma pequena casa azul"


0 comentários:

Enviar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | coupon codes