19 de abril de 2012

[Desafio Criativo Nº3] - Eva sem Adão

Eva dirigiu-se a varanda do seu quarto como uma menina correndo para o pinho em noite de natal. A imagem do homem vestido de linho branco era estonteante. Não sabia o que brilhava mais, ele ou a lua cheia. 

-Ai homem quando darás um descanso a esse chapéu de Panamá? Tud k’el na cú. - pensou Eva abrindo um sorriso que também fazia concorrência à lua. De repente veio uma brisa fresca e salgada com um toque de Hugo Boss. Hipnotizada pelo cheiro que emanava, foi abraçar o dono a quem se havia rendido depois de tantos anos de resistência. 

Ainda de olhos fechados sentiu que pousava seus lábios nos dela. O beijo foi bom, mas faltou aquela pitada de tabaco e mufina picada do bigode. Foi quando seus olhos se abriram que se deu conta da confusão, de repente parecia as brasas da grelha donde o suculento churrasco dava voltas. 

*** 

Entretanto do outro lado da casa chegavam a uma janela com vista à varanda, dona Andreia e o Dr. Almeida. Justo a tempo de presenciar a cena do beijo. 

– Vês como ela é, - exclamou dona Andreia - parve foste tu ao pensar que ela mudaria nestas alturas do campeonato. Na realidade, Eva é só dod d’got mort. E parece que tem fetiche por chapéus de Panamá. 



- Mas não entendo... Estávamos tão bem. – disse desolado o Dr. Almeida. Parecia real, senti que finalmente estava amando-me. Isso não fica assim, depois de todos esses anos não permitirei que me faça mais de tonto, não mesmo. – era tão forte o ranger de dentes que até Andreia se assustou e foi correndo atrás dele. 

*** 

-Oh Dudú! O que vem a ser isso, ham? Quem te deu liberdade para tal atrevimento? Não antes de mais me diz por que estas a rusgar a minha festa? Porque não me lembro de haver-te convidado. 

Dudu parecia uma lula com aqueles olhos fora da cabeça, mais do que assustado estava confuso e começou a gaguejar. –Ma... ma...más dona Eva como assim rusg, se foi bocê que mandou a dona Andreia dame fala? 

-Quer dizer que além de atrevido também és mentiroso? Sai daqui antes que te dê uma sova d’lot porque estás com falta. Mnine d’bola fogo. Foi falando com os seus botões enquanto a noite de luar e a brisa fresca suavizavam as veias da sua frente. Como amava esse lugar, seu paraíso donde ela de verdade se sentia uma gata. Finalmente ia desfruta-lo com alguém merecedor. 

-EVA! -Esse tom grave trouxe-a de volta a realidade. Não tinha aquela sucrindade a qual estava acostumada. Estava tão carregado de ódio que nem parecia aquele homem que a cortejou a vida inteira. 

*** 

- Pelos vistos todos têm álibi: Cármen e Calú estavam agarrando-se no armazém, o amigo do Dudú Silva confirmou que ele o chamou para pedir uma buleia, a dona Andreia diz ter ido à casa de banho trocar o fato de banho por um vestido, mas não tem testemunha. E o Sr. Dr. Almeida qual é a sua historia? Já que a arma do crime foi um colar que a empregada da boutique da dona Andreia Fernandes garante que o senhor comprou na loja à sugestão da dona. Mas que curiosamente a mesma diz não lembrar-se. 

- Minha historia Sr. Borges? Minha história todos a conhecem, fui louco por essa a vida inteira. Mas o que não sabem é que finalmente ia ser a minha Eva. Íamos assumir publicamente a nossa relação de meses. – Tinha o olhar tão longe que parecia que sua alma havia saído do corpo. 

- Muito bem, prossiga com o seu depoimento Dr. Almeida. 

- O que não sabem Sr. Borges, o que não sabem... - os gritos interrompidos pelos soluços ouviam-se na sala de espera onde se encontravam os outros suspeitos- o que não sabem é que eu, eu MATEI a minha Eva. 

Houve um alvoroço na sala de espera e todos os suspeitos se olhavam uns aos outros incrédulos. Ninguém digeria bem o que acabava de ouvir. Impossível. Esse homem havia amado aquela mulher toda a sua vida. Andreia permaneceu como uma estátua. Todos imaginaram que foi pelo choque da revelação. 

-Matei a minha Eva, matei a minha Eva. – O Dr. Almeida seguia repetindo como louco quando foi interrompido pelo investigador Borges pedindo que contasse como tudo sucedeu. – Ela estava na varanda do quarto. Mesmo enervado não pode deixar de contemplar sua beleza ao luar. Depois de tantos anos seguia sendo essa gata por quem me apaixonei. Tinha acabado de vê-la traindo-me justo no dia em que íamos assumir o nosso amor. 

*** 

- Oi meu bem, estava aqui justamente pensando em como será a nossa vida daqui para frente... - Eva confirmou a raiva no olhar de Almeida e foi apagando seu sorriso-... Mas, diz-me, sucede algo? Pareces um cão raivoso, kred. 

- A única cadela aqui és tu. – disse Almeida enquanto apunhalava o peito da amada com um colar que tinha um amuleto enorme em forma de chave com um cabo de coração. - Sua mentirosa. Nunca abriste o teu coração de verdade, agora morre por ele. Donde esta o teu amante quando precisas dele, onde está, diz-me? 

- Almeida meu amor... Entendes-te tudo mal, eu não... - Eva desmaia de dor, e nisso chegou Andreia. 

-Almeida! O que foi que fizeste? 

- Oh meu Deus nãooo. Não posso tê-la matado. Perdoa-me meu amor, perdoa-me. 

-Sai daqui, vai embora deixa que eu me encargo de tudo. 

*** 

-Depois disso fui ao banheiro limpar o sangue dela... 

-Tragam a Sra. Andreia Fernandes. - o Inspetor aguardou em silencio até a entrada da cúmplice. – Na verdade Dr. Almeida, não foi o senhor quem deu fim a dona Eva, e sim a Sra. Andreia. 

-Eu, eu não. Ela era minha melhor amiga eu só quis ajudar o Almeida. 

-A perícia encontrou suas digitais na arma, marcas da sua palma da mão e DNA nas unhas da Eva. - Almeida olhou atônito para ela. – Agora só nos falta saber o motivo Sra. Andreia, porque a investigação provou que você planeou tudo, até ofereceu um chapéu ao Dudú e fez com que ele se encontrasse com a Eva na varanda. 

- Meu motivo? Hahaha, o mesmo do Almeida: eu amei aquela vadia desde o dia em que a conheci. Sofria cada vez que a via com outro, meu único conforto era a existência de outra pessoa que ela ignorava o amor. E justo quando ganho coragem e me declaro ela pede desculpas dizendo que só me queria como amiga. Queria ficar com esse imbecil, porque era seu Adão. Mereceu morrer sem disfrutar do seu Adão. 



OBS: este texto é da autoria de  Margareth Gonçalves Lima  e faz parte do Concurso de Escrita Criativa


5 comentários:

Spencermonteiro disse...

Interessante. Eva tenta roubar o lugar de Adão no coração de Eva...

M & M disse...

Achei engracao e interesante, tem boa imaginacao e ate tem um bom senso de humor! Gostei

Lady Magá disse...

 Obrigada :D

Lady Magá disse...

Diria "Adona" hahahah

Maria Efigenia Goncalves disse...

adorei muito,so podia ser a minha filhota beijos

Enviar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | coupon codes