27 de dezembro de 2011

Mais um intelectual complexado

Quando vi esse título A questão Adriano Moreira e as elites alienantemente convenientes e neocolonialistas em Cabo Verde no Liberal Online e vi a foto de um jovem decidi ler o texto porque o tema do neocolonialismo em Cabo Verde é algo que me interessa. 

João Domingos Bosco
Pensei que iria encontrar um texto de leitura leve mas com elementos novos e pertinentes trazidos por João Domingos Bosco (eu também não sei quem é). Mas não é que me enganei? Sobre Adriano Moreira não trouxe nada de novidade. Encontrei um texto extremamente longo, cheia de palavras rebuscadas (para mostrar que é bom) e um contributo fraco na apresentação de alternativas. Não sei porquê mas a foto de um jovem alegre não encaixou bem no texto muito erudito (eu também conheço umas palavras caras). Fiquei com a sensação de que alguma coisa não bate certo ali… 

O gajo é um complexado do caraças que tirou da cartola que sampadjudo [termo usado para designar os crioulos do lado de Barlavento e, em especial, de São Vicente] significa ajudante de colonialismo: 

“(…) De facto, Mindelo e as elites mindelenses têm, desde a primeira hora, servido muito bem a esse propósito neo-colonial (sempre ajudaram o colonialismo, daí a corruptela sampadjudo em crioulo), bastando para tanto perceber o projecto colonial que o General Pereira Marinho e outros esboçaram para a ilha, que ia no sentido de a transformar na capital do arquipélago ultramarino (...)” 

Para Bosco a instalação de filiais de universidades portuguesas em Cabo Verde (em especial no Mindelo) é porque há “mediadores mestiços (os “herdeiros deserdados”)” que melhor convém os portugueses: 

“Daí se entende também a forma como se vêem instalando outras filiais de universidades portuguesas em Cabo Verde como a Lusófona, a Única, etc. Mas o curioso e paradoxal é a relativa concentração das mesmas, apesar do exíguo mercado, na cidade do Mindelo, frequentemente exaltado como "capital cultural" do arquipélago (…)” 

E que o grupo liderado pelo académico Corsino Tolentino terá preparado “uma estratégia de "tomar de assalto" a reitoria da Universidade Pública de Cabo Verde, com o intuito de materializar os interesses políticos em termos do mercado académico de algumas entidades portuguesas.” 

Segundo João Bosco este grupo terá usado “apreciações depreciativas sobre aspectos étnicos e de supostas práticas culturais dos santiaguenses, notadamente sobre a suposta impreparação cultural e civilizacional destes para conduzir os destinos da Universidade de Cabo Verde” como forma de fazerem valer suas opiniões. 

Estamos na era da internet, dos links e hiperligações e por isso não fica bem fazer um artigo de opinião acusando e não mostrando a fonte original de onde surgem estas acusações. Não sei se proferiram estas palavras mas sei que o facto de um, dois ou dez pessoas terem uma certa opinião não dá o direito a outra de generalizar para sampadjudo, Mindelo, São Vicente ou Barlavento.

Um bom tema com alguma investigação por parte do autor mas que resolveu estragar tudo ao misturar bairrismo no seu estudo.




10 comentários:

Telmo Luz disse...

hahahahahahhahahaahahaha.
Isso é um artigo ou um rolo de papel higiênico??qt merda junta

zito azevedo disse...

Este Bosco não honra o nome do Bispo-Santo que porta o seu nome e "inventou" os salesianos. Recomendo-lhe que leia qualquer coisa sobre S.João Bosco...

Anónimo disse...

And here we go again. Cada um com seu bairrismo e não acabamos nunca mais com estas discussões.

mrvadaz disse...

Dai,

Eu não suporto nenhum bairrista e Cabo Verde está cheio deles!

Tchale Figueira disse...

Bairrismo é Burrice!!!!!!!!! Venha de onde viér... Norte sul este oeste.

Anónimo disse...

Sampadjudo é sinonimo de foguense e nao de mindelense ou sanvicentino. Ou entao aqueles rapazes de Mindelo que vivem na PRAIA ja nao se respeitam e perderam toda a vaidade de ser boice de Soncente!
Recomendo-lhes algumas punhetas para fortalecer a vaidade e a virilidade mindelenses!

Naice Punheta

Anónimo disse...

boa naice punheta. esse li è cosa de djo pirass mariano.bem dzid.ta dà realmente raiva oià um boice de soncent na praia ta rejeità se natureza." boice d soncent" é um estilo de vida.nada kta ofende ninguem, aliàas mucin d soncente è conhecido pa se educaçao ,elegancia, estilo, se alegria e mto mais

Anónimo disse...

Como falar muito sem dizer "nada"!

Anónimo disse...

Tanta merda junta... uf uf

Caboverdiano disse...

Olá Dai. Já tinha lido alguns artigos no teu blog e hoje confeso que a minha passagem por cá foi por causa do dia da "linga materna" (como se chama isso realmente não sei) a ver se encontrava algo sobre isso e acabei por encontrar mais este artigo sobre mais um tapod e queria perguntar-te se viu mais uma entrevista de mais um pseudo comentador no telejornal de terça-feira. Já que ninguém mais escreve e critica as aberrações fica aqui um apelo: Continua que talvez chegues longe. Digo talvez não por maldade mas porque nesta terra cortam as pernas a tudo o que é  bom e tu és bom. Parabéns.

Obs: este autor opta por (pelo menos tenta) escrever  na ortografia antiga.   

Enviar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | coupon codes