26 de outubro de 2011

Quanto mais álcool... melhor!


Eles aproximam-se de cara sorridente com uns convites nas mãos. São universitários na cidade do Mindelo. Neste momento penso: “deve ser convite para algum seminário ou palestra”. Observo o papel e vejo que tem a foto de duas canecas de cerveja. Só pode ser uma palestra para discutir a problemática do alcoolismo na camada juvenil crioula. Que nada! É mais uma CERVEJADA promovida pelos estudantes nesta ilha universitária.

É que actualmente não há nenhum evento organizado pelos universitários que não esteja regada de bebidas alcoólicas. Este é o combustível essencial e a alegria geral da juventude crioula. Será esta a razão de tanta felicidade apesar do desemprego gritante na camada juvenil e da insegurança? Sei não e é melhor terem cuidado com as calorias do grogue senão muita gente vai acabar no Peso Pesado.




Juntamente com a cerveja temos o nosso “famoso” grogue. Mas não estou falando de qualquer grogue mas sim aquele de qualidade (neste momento estou rindo). Como é que esse chega aqui? Plantado em larga escala na ilha de Santo Antão, a cana sacarina que será usado para fazer grogue ocupa um espaço que deveria ser usado para cultivar vegetais ou frutos. Este cultivo serviria para consumo de um povo carente em nutrientes e com pessoas que têm grandes dificuldade em arranjar o que comer. Mas, deixa prá lá que ninguém quer saber disso.

Depois de transformado em grogue nos alambiques de Santo Antão (ainda estou rindo), o precioso líquido chega aqui para ajudar a desfrisar o cabelo crespo do crioulo, provocar cirroses e diabetes, bem como criar demência mental. Mas como a quantidade desse tipo de grogue revelou-se insuficiente para o consumo nacional e o Governo não queria que faltasse aguardente para nenhum crioulo, resolveu legalizar a produção de grogue através do açúcar importado, pilhas Rayovac e caca de alimárias (ou seja, tudo o que fermentar vira grogue). 


E para que não haja dúvidas quanto à protecção ao precioso líquido criou-se a Confraria do Grogue e o Instituto do Grogue. Desta forma é possível observar camiões carregados de sacos de açúcar em direcção aos “trepiches” e plantações de cana sacarina (essa é boa) que regressam carregados de bidões de grogue em direcção ao cais do Porto Novo com destino a São Vicente.

O bom disso tudo é que nos eventos o grogue desinibe os universitários e alguns começam a filosofar que nem o tal de Aristóteles. Mas estou falando da apresentação de argumentos que deixariam qualquer professor corado de vergonha por desconhecer certas habilidades da juventude de hoje em dia. Momentos esses que deveriam ser aproveitados para enriquecer o espólio intelectual de Cabo Verde ou serem colocados como vídeos engraçados no Youtube.

Rumores avançam que o Governo aponta o Facebook, pelo seu papel como rede social, como causadora de dificuldades aos bares da ilha que sempre foram considerados lugares de convívio social por excelência. Vários estabelecimentos estão fechando portas pelo que são essas as propostas em cima da mesa:

a) Aumentar a importação do açúcar e consequente baixa do preço do álcool (que por enquanto é vendido pela exorbitância de 10 escudos por meio cálice)

b) Aumentar os preços de internet praticados pela CVTelecom (é possível ser mais caro?) 

c) Aumentar os cortes de energia da ELECTRA (para obrigarem as pessoas a saírem à rua, se bem que para isso eles nem precisam de ajuda).

Enquanto isso não acontece… vai uma gelada?






  

16 comentários:

zito azevedo disse...

Autorizar o fabrico de grogue que não seja a partir da cana é um atentado a um destilado que pode ser um nectar e que, como todas bebidas, deve ser consumido com moderação...Eu já "provei" grogues que nada ficam a dever a alguns "Napoleões" - eram velhas relíquias amadurecidas em barris que antigamente traziam o whisky para S.Vicente, onde os ingleses o desdobravam e engarrafavam para seu consumo... O grogue pode, pois, ser uma bebida nobre e fonte de receitas, como acontece com o "rum" de outras paragens...Mas, o que V. conta arrepia e requere medidas profundas e inteligentes salvo o que o país estará a hipotecar a sua juventude a um futuro sem horizontes e o grogue à escória das bebidas álcoolicas...

Bruno da Moura disse...

O alccol hoje em dia faz parte da vida de um universitário estando ele dentro ou fora do país, é a realidade que não só afecta os cabo-verdianos como todos.

Para curar a ressaca: http://odtudo1pouco.blogspot.com/2011/10/como-curar-ressaca.html

stephanie disse...

oh, bruno moura entao é por isso q cada vez mais encontramos universitários q n sabem nada acerca de cultura geral etc...e talvez nem sabem o motivo de lá estarem, q tristeza

Anónimo disse...

Desde há muito que a universidade e o álcool andam de mãos dadas. Toda a vez que se fala em jovens, fala-se de exageros em todos os aspectos, parece que querem viver tudo de uma vez. E juntando álcool, a coisa fica mais perigosa. mas os jovens de hoje em dia estão a abusar, não sabem se divertir sem álcool. Sempre que convido alguém para sair, para uma discoteca por exemplo, eles me dizem, há eu não vou porque não tenho dinehiro para estar a beber.Quer dizer, as pessoas hoje em dia só saem para beber, senão perde a piada. Se juntarmos o grogue de 'pneu'como chamamos por aqui, então a coisa azeda. Vemos cada vez pessoas mais jovens com problemas de saúde derivados destas péssimas bebidas que são oferecidas hoje em dia, de péssima qualidade. Mas ele culpam tudo e todos menos a bebida. Na cidade da Praia existe um vinho que se chama 'carrega faxi' que se vende 5 litros a 130 escudos. Agora imaginem que composição essa coisa terá. A oferta está cada vez mais barata e a procura cada vez maior, o país poderá estar a hipotecar a juventude com estas ofertas mas cada um é responsável por aquilo que faz, por isso não vamos apontando assim o dedo às pessoas.

Anónimo disse...

Desde há muito que a universidade e o álcool andam de mãos dadas. Toda a vez que se fala em jovens, fala-se de exageros em todos os aspectos, parece que querem viver tudo de uma vez. E juntando álcool, a coisa fica mais perigosa. mas os jovens de hoje em dia estão a abusar, não sabem se divertir sem álcool. Sempre que convido alguém para sair, para uma discoteca por exemplo, eles me dizem, há eu não vou porque não tenho dinehiro para estar a beber.Quer dizer, as pessoas hoje em dia só saem para beber, senão perde a piada. Se juntarmos o grogue de 'pneu'como chamamos por aqui, então a coisa azeda. Vemos cada vez pessoas mais jovens com problemas de saúde derivados destas péssimas bebidas que são oferecidas hoje em dia, de péssima qualidade. Mas ele culpam tudo e todos menos a bebida. Na cidade da Praia existe um vinho que se chama 'carrega faxi' que se vende 5 litros a 130 escudos. Agora imaginem que composição essa coisa terá. A oferta está cada vez mais barata e a procura cada vez maior, o país poderá estar a hipotecar a juventude com estas ofertas mas cada um é responsável por aquilo que faz, por isso não vamos apontando assim o dedo às pessoas.

daivarela disse...

E esse tal de "carregua fazi" é um vinho de qualidade, não é?
Só pode ser. heeheeehehe

Anónimo disse...

o preço despoporcional ao produto dá para ver. o mais fixe é que quem o beber não poderá dizer que não, mesmo que seja só um gole pq os dentes e a língua fc e imediato da cor lilás. hehehehehe

Anónimo disse...

o preço despoporcional ao produto dá para ver. o mais fixe é que quem o beber não poderá dizer que não, mesmo que seja só um gole pq os dentes e a língua fc e imediato da cor lilás. hehehehehe

Anónimo disse...

O CONSUMO EXAGERADO DO ÁLCOOL ESTÁ A DIZIMAR A NOSSA JUVENTUDE E TAMBEM OS MAIS VELHOS. A DROGA MAIS CONSUMIDA EM C.V PASSA-SE DESPERCEBIDA PELOS NOSSOS GOVERNANTES OU NÃO PREOCUPAM COM A NOSSA JUVENTUDE.
PARABENS POR ESTE TEXTO DAI.
OBRIGADO

daivarela disse...

sempre às ordens Anónimo

C.MR.86 disse...

É UMA VERGONHA Q ENCONTRAMOS JOVENS UNIVERSITÁRIOS A EMBRIAGAR-SEEM PLENO HORÁRIO DE AULAS E EM LOCAIS PÚBLICOS.JOVENS DEZEMPREGADOS, MENORES SENTADOS NAS
"PONTAS" A ENFRENTAREM VÁRIOS LITROS DE GROGUES EM PLENO COMEÇO DO DIA.
ANÚNCIOS UNIVERSITÁRIOS POR TODA A PARTE Q DÃO CONTA DE FESTAS ,CERVEJADAS...
OU SEJA, ESTAMOS NUMA SOCIADADE EM A NOSSA GERAÇÃO CONSIDERA O ÁLCOOL O BEM MAIS EM Q É GRAVISSIMO PR O NOSSO PAÍS E Q OS GOVERNANTES NADA FAZEM.

UM ABRAÇO PR DAI VARELA POR ESTE EXCELENTE TEXTO.FORÇA

mrvadaz disse...

Dai,

"(...)ocupa um espaço que deveria ser usado para cultivar vegetais ou frutos. Este cultivo serviria para consumo de um povo carente em nutrientes (...).

Acho que estas duas frases são os pecados deste teu texto, há que separar as coisas, não se pode ver as coisas como se tudo estivesse numa caixa negra. Estou com o Zito, ainda fim de semanana passada, experimentei um Grog de Santo Antão, no Cantinho de Cabo Verde, que não deixa nenhuma satisfação aos muitos wiskys do Minipreço, vinhos ou cervejas que, como lembrou o Zito, deve ser sempre moderado. No mundo existe deus e diabo, a escolha é nossa!

Subscrevo às tuas preocupações e humor, na Ilha de Santiago, lá por bandas da Várzea, mais concretamente perto do Estádio de Côco, as donas vendem um grogue feito na frigideira com pneu, carapate(sisal), cocó dos diferentes animais, incluindo dos praenses, baterias alcalinas chinesas Yu Wan entre outros solutos e solventes que estão a deixar os "mokeiros" loiros, "cabelo disfrisados y ta odja blue".

Aqui na Europa não é diferente e esta moda pega à velocidade da luz nos crioulos cá, já ouviste falar na famosa Queima das Fitas da Coimbra? Na queima de 2009, pelo menos 5 estudantes caboverdeanos foram hospitalizados em coma alcoólca e dezenas de portugueses!

Cá na Invicta, entre nós berdianos, existe LM Prodoction e B.I.G Prodoction, o lema é: passá sábe!

É claro que existem outros movimentos longe de álcool como a Tertúlia Crioula Portuense e outras que junto com os meus amigos, promovo na minha faculdade.

De vez em quando apareço no Number One para dançar(adoro!) um pouco ou saio do MiniPreço, Pingo Doce ou Continente com vinho ou cerveja. Se aparecer grogue trazido por caloiros, o bom mesmo!, tomo um cálice mas não que ficar loiro, nem com "cabelo fino"! Quanto ao blue, vejo muitas vezes depois de muitas directas na faculdade hehehe.

P.S. Se a Simone, tal do vídeo aparecer na minha frente como aquela que está no vídeo do Hernâni, acho ki nta odja blue també!

Abc

mrvadaz disse...

Sorry Dai,

Acho que publiquei post em vez de comments, só notei depois de publicado!

daivarela disse...

Dissete uma verdade C.MR.86, os nossos governantes tem outras preocupações e vão resolvendo o problema do alcoolismo nos dias mundiais de qualquer coisa.
Mas um dia a realidade vai bater tão forte que não vai ser possível ignorar: um país com uma pequena população onde grande parte da sua juventude tem o álcool como principal meio de diversão não pode estar caminhando para um bom destino.
Abraço e volte sempre

daivarela disse...

Pois olha mrvadaz que isto de pecado tem muito que se lhe diga.
temos um país carente e ilhas agrícolas em que as terras cultiváveis são usadas para plantar cana para grogue. Isso é bom? É mau?

Gosto desta iniciativa da Tertúlia Crioula Portuense e espero um dia poder participar também.

Se a Simone aparecer assim não vou-te chamar, disto podes ter certeza. hhahahahaha

Anónimo disse...

mrvadaz, qtas vezes já ouvi falar em festas e convívios. A moda agora é bar aberto e os homens e as mulheres preferem participar numa festa dessa beber até cair, em vez de ir a um evento cultural, um debate, tertúlia, . Mas eu pergunto, que piada tem isso. Já estive na queima de fitas em Coimbra que chama a atenção de todo o corpos estudantil de Portugal por causa da cerveja grátis que é destribuída pelos estudantes finalistas em carros tipo em caravana. Fui com uns amigos e, como era a primeira vez, a título de curiosidade para verificar 'in loco' se aquilo que me haviam contado era uma realidade. Fiquei surpreendida com aquilo que vi e olha que tive que meter uma amiga debaixo de um chuveiro com ágia atemperatura menos 10 porque bebeu cervejas à mais, falava besteiras, corria o risco de alguém se aproveitar da situação em que estava e ainda corria o risco de me comprometer. Não sou contra a bebida, porque também bebo, com moderação, mas o caso da produção do grogue e de outras bebidas produzidas aqui em Cabo Verde se tornou um caso de saúde pública.

Enviar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | coupon codes