17 de setembro de 2011

MINDELACT’2011: Teatro em grande no Mindelo e na Praia


Mindelo respira teatro por todos os poros, que é como quem diz, por todas as salas de espectáculos da cidade. Desde o palco principal, o Centro Cultural do Mindelo (CCM), passando pela Academia de Música do JotaMonte (AMJ) ao Centro Social de Ribeira de Craquinha ou então pelas várias artérias da cidade, tudo é teatro. Estamos em Setembro. Estamos no Festival do Mindelact’2011. Artistas, técnicos, produtores e público, todos se misturam num fazer para ver teatro que este ano mais uma vez trás a extensão para a cidade da Praia com vários espectáculos em carteira.

Gostou do blog? Então click aqui e siga as novidades de daivarela no Facebook


Bodas de Sangue - Mindelact 2011
A 17ª edição do Mindelact teve uma abertura soberba com uma apresentação de encher os sentidos fazendo antever um festival recheado de qualidade. Encenada pelo Grupo do Centro Cultural Português – IC, do Mindelo a partir de textos inspirados nas reportagens jornalísticas de Federico Garcia Lorca, os dezasseis personagens conseguiram mostrar que “todo mundo cabe num palco” no Mindelact. Considerado “digno do historial do grupo e do festival” pelo seu encenador e director artístico, João Branco, esta 46ª produção deu o arranque da festa do teatro no palco principal. 




Festa que foi dada continuidade com “Frederico Garcia Lorca: Pequeno Poema Infinito”, onde José Mauro Brant revela as mais marcante experiências de Lorca como artista e cidadão numa dramaturgia construída exclusivamente por palavras do próprio artista. De seguida subiu ao palco “Papirus” de Iolanda Llanso, que lhe valeu este comentário de Abraão Vicente que assistiu ao espectáculo “ninguém pode­ria esperar tanto. Somos fatalmente sempre traídos pelas expectativas. Uma noite memorável e esplêndida ao som de um teatro parco em palavras mas exuberante na linguagem, no conteúdo, na essência, na mensagem. Fantasia deliciosa ver o próprio cenário da peça a crescer durante a representação.” O grupo espanhol Xirriquiteula Teatre trouxe para Mindelo um mundo de papel. Utilizando os gestos, a imaginação e o papel, estes dois personagens fizeram o público participar, durante uma hora, nos seus sonhos, medos e desejos. Um espectáculo singular em que os gestos, o humor e a criatividade foram protagonistas. Ainda ao palco principal subiram os grupos de Teatro Dja d’Sal com a peça “Água”, o Tanztheater Global com “Sonho em Movimento” e Jackie Star de Charlotte Saliou com “L’Élegance el la Beauté”. Para esta quinta-feira o Teatro Art’Imagem apresenta “Por um punhado de Terra” no Auditório do CCM.



Mas o Mindelact faz-se também para os pequeninos. São os espectáculos da Teatrolândia que nesta edição abriram com uma estreia absoluta do inédito musical infantil “Os Saltimbancos” que esgotaram rapidamente os bilhetes. Um momento ímpar para as centenas de crianças que encheram o AMJ para aplaudirem e cantarem com o Burro, a Galinha, o Cachorro e a Gata ao som da música do mestre brasileiro, Chico Buarque, e suporte do talentoso coro da Escola Secundária Jorge Barbosa. De seguida, o TIM – Teatro Infantil do Mindelo encenou “Katiuska & Chatonilda”, uma dupla de palhaças numa peça recheada de emoções, alegrias e muitas palhaçadas mas também de pedagogia que, como escreveu Abraão Vicente sobre a peça, “isso é pedagogia de marca ou então um dedo apontado para o contributo positivo que o teatro educativo pode dar na educação das crianças e na criação de novas mentalidades, de novos cidadão.” Para este domingo está agendado o “Teatro Con Classe” do grupo espanhol Delirium no AMJ pelas 17 horas.


Espectáculos na Praia


Depois “Papirus” ter subido esta terça-feira ao palco do Centro Cultural da Praia, é a vez de, na segunda-feira (19), o Projecto Aquarium apresentar “Closer”, um espectáculo para maiores de 18 anos. No dia 21 o grupo cabo-verdiano Skinada encena “O Psicanalista”, seguido de uma performance de som e movimento da dupla crioula Bety Fernandes & Ndu Carlos. Para encerrar a extensão, “Ñaque, piolhos & Actores do grupo de Teatro do IC-CCP do Mindelo. Todos os espectáculos acontecem no Auditório do Centro Cultural da Praia.


“Mindelact está a funcionar bem”, afirma o Director de Produção 

O director de produção do Mindelact, Daniel Monteiro, avança que tiveram alguns problemas de última hora mas que já foram todos ultrapassados, onde a maior dificuldade é na parte financeira. “Isto é normal”, diz Daniel, “quando temos um festival sustentado no voluntariado mas a máquina está andando normalmente”. Até agora fica difícil apontar um ponto alto do festival porque “cada momento teve suas histórias” e revela que até agora ainda não houve problemas em termos de público, com “salas sempre cheias” onde um dos maiores problemas é referente a falta de um “local maior” para receber as pessoas que querem apreciar teatro.

Daniel garante que a extensão para a Praia está a “funcionar bem” e a seguir o seu ritmo normal. “Temos esse ano uma parceria mais estreita com o Centro Cultural Português da Praia que está no apoio logístico e organização dos espectáculos.”Outra aposta que quer ver ganha brevemente é outras extensões para além da capital para, de certa forma, “desmistificar uma certa preocupação” de algumas pessoas. O certo é que estando aqui os artistas e havendo o empenho de Câmaras Municipais ou empresas de outras ilhas o Mindelact afirma-se sempre disposto a fazer extensões. “É só uma questão de planificar e organizar conjuntamente antes da chegada dos artistas para que haja teatro em qualquer concelho do país”, termina o director de produção.


Publicada (também) no Jornal A NAÇÃO

0 comentários:

Enviar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | coupon codes