21 de setembro de 2011

Homens suicidam-se mais que mulheres em São Vicente

Nos últimos anos São Vicente é, esporadicamente, abalada pela notícia de mais um suicídio entre o povo destas ilhas. Em reportagem, especialistas na área dão a conhecer as motivações e os sinais de alerta que podem estar na origem do suicídio cometido pelos cabo-verdianos e relembram os casos mais mediáticos que abalaram o país pela sua violência ou os contornos estranhos em que ocorreram.


Gostou do blog? Então click aqui e siga as novidades de daivarela no Facebook


O senso comum pode indicar que tem havido um aumento de ocorrências mas a verdade é que não existe um estudo aprofundado nesta área e os dados são escassos e mal organizados. O certo é que sempre que há um caso de uma pessoa que tira a própria vida, todos se consternam e nenhuma das razões que possam alegar para cometer tal tresloucado acto serve de consolo aos familiares e amigos que ficam. 

Apesar de não existirem taxas concretas de suicídio em Cabo Verde, os especialistas garantem que ainda ela não pode ser considerada um problema de saúde pública no país, tendo em conta a situação mundial. Compreende-se esta constatação quando se sabe que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declara que em média, quase três mil pessoas cometem suicídio diariamente no mundo. Ainda, estima que por cada morte por suicídio, existam vinte ou mais tentativas que resultam em ferimentos, hospitalização, bem como traumas mentais e emocionais. Uma das instituições que mais trabalha com a juventude na ilha do Monte Cara é o Centro de Juventude de São Vicente (CEJ-SV) e que tem sido confrontado com vários casos de jovens e até de adolescentes com problemas de baixa auto-estima e depressão, alguns dos factores de alarme apontados pela responsável do Gabinete de Psicologia do CEJ-SV, Maria do Carmo Monteiro. “Não podemos falar de muitas ocorrências, ma já tivemos casos de menores com idades compreendidas entre os 16 e 17 anos que demonstraram este comportamento ou ideias suicidas, mas a maioria dos casos são jovens de 18 anos ou mais”, revela esta psicóloga clínica e de saúde que aponta também “problemas familiares e uso de drogas” como causas destas tendências suicidas.


DESEMPREGO GERA DEPRESSÃO

Ainda alguns jovens de São Vicente reclamam que “não têm espaço nesta ilha” e que ninguém quer lhes abrir as portas do emprego. “Há dias chegou-me aqui uma mãe desesperada porque sua filha terminou a universidade há algum tempo mas que ainda não encontrou trabalho”. Ela afirma que tem notado certos comportamentos típicos que poderão fazer sua filha cair em depressão ou que poderão fazê-la vir ter ideias suicidas. Por isto esta mãe preocupada procurou o CEJ-SV para que sua filha possa ser acompanhada e ajudada. “Estamos trabalhando para ajudá-la porque sabemos que a depressão é uma das causas que podem levar um jovem matar-se”, conta a psicóloga clínica.


SUICÍDIO É EVITÁVEL

A mensagem que as autoridades querem passar é que o suicídio é um evitável problema de saúde pública, responsável por quase metade de todas as mortes violentas no mundo, provocando um milhão de óbitos por ano, segundo dados da Organização Mundial da Saúde
Maria do Carmo Monteiro
(OMS). Estimativas sugerem que as mortes podem chegar a um milhão e meio em 2020. É por estas razões que a responsável pelo Gabinete de Psicologia do CEJ-SV alerta para que “desde pequeno” os pais devem criar nos filhos a capacidade de resiliência psicológica e torná-los capazes de tomarem suas próprias decisões e resolverem sozinhos seus problemas. “Isto pode evitar que coloquem a possibilidade de acabar com a própria vida por culpa de qualquer dificuldade”.

Globalmente, os suicídios representam 1,4% de todas as doenças, de acordo com dados da OMS. Em muitos países europeus, o número anual de mortes por suicídio é maior do que o número em acidentes de trânsito. As maiores taxas se registam no Leste Europeu e as menores na América Latina, nos países de religião muçulmana e em alguns países asiáticos. Há pouca informação sobre o assunto em países africanos.


SINAIS DE ALERTA

As taxas tendem a crescer com a idade, embora recentemente tenha havido um alarmante aumento do comportamento suicida entre jovens na faixa de 15 a 25 anos, em todo o mundo. Quase sempre o jovem que pensa em desertar da vida dá sinal desta ideia, através de um comportamento diferente no seu modo de viver, passando a buscar refúgio na solidão, isolando-se de tudo e de todos. Notam-se principalmente a falta de amigos e o isolamento, pois o jovem, por sua própria natureza, busca o grupo como forma de afirmação da sua identidade. A depressão é, certamente, o diagnóstico psiquiátrico mais observado em adolescentes que tentam o suicídio. “Muitas vezes fazemos acompanhamento através do Gabinete mostrando outras alternativas para se distraírem e ocuparem seus tempos livres”, afirma Maria do Carmo que acredita que o CEJ-SV tem um espaço capaz de melhor um pouco a vida desses jovens que se sentirão integrados e úteis no trabalho de voluntariado. “Mas também já tivemos casos em que tivemos que encaminhar para o hospital porque mereciam de uma intervenção mais psiquiátrica do que psicológico”, termina a psicóloga.


CASOS RECENTES DE SUICÍDIO EM SÃO VICENTE

Vários têm sido os casos de suicídio que tem abalado a ilha do Porto Grande ao longo dos últimos anos. Um dado que merece atenção e estudo, na opinião do médico-legista da Delegacia de Saúde de São Vicente, Ledo Pontes, é a macabra relação dos casos de atentado à própria vida e as desavenças conjugais e familiares. Outro denominador comum entre a maioria dos casos é a forma escolhida para pôr termo à vida: o uso de corda ou outro objecto similar para provocar asfixia por enforcamento.

Na terça-feira (20) dois homens de Vila Nova (Mindelo) suicidaram-se a escassos minutos de intervalo, sendo os dois da mesma rua, mas por razões e formas diferentes. O primeiro, Agostinho Pereira, de 49 anos, tinha perturbações mentais e enforcou-se e o segundo, António César Centeio, de 29 anos, que era guarda prisional, matou-se com uma arma de fogo. Na manhã de quarta-feira (14) um homem de nome Gonçalo dos Santos Ramos, de 49 anos, suicidou-se na praia da Laginha, no Mindelo. O indivíduo, que era oriundo da ilha de Santo Antão, amarrou uma corda a uma corrente que tinha ao pescoço e atou-se com ela no fundo do mar, numa das bóias que fazem a delimitação na praia. Foi encontrado por mergulhadores nas primeiras horas da manha.

Logo no início de Setembro deste ano o jovem Jorge Duarte, de 24 anos que residia na zona de Belavista (Mindelo) pôs termo à vida, por suposto desentendimento familiar, ingerindo cerca de um litro de petróleo de uma garrafa que se encontrava em sua casa. Anteriormente, a 24 de Julho, São Vicente tinha ficado em choque com a notícia do assassinato na zona da Bela Vista, alegadamente por questões de ciúmes, de Josiene Soares de 24 anos. De acordo com informações fornecidas ao A NAÇÃO pelo Inspector Chefe da Polícia Judiciária de São Vicente, João Pereira, a jovem terá morrido por asfixia após ter sido agredida no pescoço pelo ex-namorado, Fredson do Rosário, de 30 anos. Este acabaria por enforcar-se de seguida, segundo o médico-legista, Ledo Pontes, que fez o auto da ocorrência.

Suicídio não é algo frequente na ilha, garante Pontes, mas “regularmente” acontecem casos. Em média são notificados dois a três casos por ano e quase sempre estão relacionados com casos de desentendimentos conjugais. “Estou a cerca de ano e meio na Delegacia de Saúde de São Vicente e até agora já fui chamado para cinco casos de suicídio na ilha, todos cometidos por homens. Pelos dados que tenho a esmagadora maioria dos suicídios na ilha são cometidos por homens e quase sempre relacionados com problemas conjugais ou familiares”, afirma o médico que fala na importância dos familiares e profissionais de saúde de reconhecerem os possíveis factores de riscos para conseguir-se evitar esta desgraça.




Dia Mundial de Prevenção do Suicídio

Comemorou -se no dia 10 de Setembro o dia Mundial de Prevenção do Suicídio. Iniciada em 2003, por iniciativa da Associação Internacional de Prevenção do Suicídio (IASP) e apoiada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) esta data visa anualmente melhorar o esclarecimento acerca do suicídio através da disseminação de informação, diminuição do estigma e, sobretudo, difundir a ideia de que o suicídio é prevenível e evitável. Países do mundo inteiro têm utilizado esta data para sensibilizar a sociedade sobre o tema. O lema deste ano é: "Muitas faces, muitos lugares, prevenção do suicídio ao redor do mundo"


Publicada (também) no Jornal A NAÇÃO N.º 212






12 comentários:

daivarela disse...

Creio que chegou o momento de psiquiatras, psicólogos, sociólogos e o Estado de Cabo Verde intervir porque os casos estão tornando-se muito frequentos.

Há que estudar e conhecer as causas para que se possa atacá-las para diminuir as probabilidades de outros jovens escolherem este caminho sem retorno.

São tanto os jovens que se formam nestas áreas e que não apresentam estudos conclusivos. Alguns por falta de condições económicas outros por falta de iniciativa própria. É vosso dever moral e profissional procurar entender este fenómeno

O desafio está lançado. Gerem conhecimento

Maria Dos Santos disse...

sabe pk?e pk os homens gosta de maltratar as mulheres, e quando as mulheres abrir os olhos, e os homens suicidam.
retirado do FB

Marly Lopes Silva disse...

Lol nao e k eu nao tou deocordo mas nem sempre e isso! Cada um tem sis problema...
retirado da ligação do blog no FB

Carmen Soares disse...

pq as mulheres sao mais (forte ) tem mais capacidade de resolver os problemas ,ja os homens por qualquer coisa ja é um bicho de sete cabeça ....
retirado da ligação do blog no FB

Eurico Jesus disse...

keche amjer tita infrotas vida ahhahh eche ta ba mata cabeça(moda no tava dze na ma tempoqd no ka sabia o que era suicida na soncente... nha juventude, brincadeira amjer e mas forte mentalmente ke ome
retirado da ligação do blog no FB

Marly Lopes Silva disse...

Pois e...

Zepra disse...

As causas deste problema são extremamente complexas e de análises isoladas. Precisamos urgentemente de profissionais competentes e com verdadeira disponibilidade e amor por este tipo de causa. Será que os temos.

Há muitos jovens a formar-se nesta e noutras áreas..., começo a achar que estamos a caminhar para uma sociedade onde reina a mediocridade.

Denise sousa disse...

nem os homens nem as mulheres sao uns mais fortes um com o outro cada um com os seus problemas e cada um manifesta da sua maneira.Mas o suicidio nao é a soluçao dos problemas devemos pensar nos nossos familiares eles é que sentem a dor

daivarela disse...

Zepra
Ainda tens dúvidas quanto a isso?
Mas a esperança é de que melhoremos sempre.
O que espero é que esses profissionais venham com vontade de ajudar e não só de ganhar dinheiro.
Força e regressa sempre ao blog.

daivarela disse...

Denise Sousa
A tristeza é que eles já não pensam em quem vão magoar quando estão na fase terminal que culmina no suicídio.
O problema é que muitas vezes não conseguimos identificar os sintomas e só damos conta quando já é tarde demais.

Abraço

Anónimo disse...

o suicidio é um caso que precisa ser estudado, pois os casos de suicidio sao preocupantes. actualmente o suicidio aumentou em cabo verde. todos nós devemos prevelegiar a prevençao do suicidio, vistop que este flagelo, nao cosntitui uma preocupaçao exclusivamente do governo como corpo docente do estado, mas constitui uma preocupaçao das ONGs, das Autarquias Locais. o correctoi nao é abandonar as pessoas que apresentam uma atitude suicida, muito pelo contrario, o certo é estar perto deles, ter uma atitude empatica, no sentido de impulcionar a pessoa a abrir,m para que esta possa desabafar, para podermos saber em quê podemos ajudar.
eu como futuro assistente social, vou trabalhar este tema, no sentido de fazer uma mediaçao para sabaer afinal, onde é que está a causa do suicidio.
sera que a culpa do suicidio está no Governo pela sua falta de capacidade de impulcionarf emprego?
- Na sociedade pelo facto, de atuar de caras voltadas para um e de costas voltadas para os filhos?
- na familia pelo facto da familia cabo verdeana ser mais monoparental de que nuclera?
- nos amigos pelo facto de cortar o lkaço de amizade com uma amiga deprimida?
-no proprio individuo, pelo facto de nao ter a capacidade de solucionar os seus problemas?
acho que a culpa do suicidio está na sociedade, pois a sociedade de hoje em dia vive marginalizando pessoas, aplicam, justiças para ums e injustiças para outros.

dai varela disse...

Oi
espero que continues com esta vontade de investigar este fenómeno como Assistente Social.
Boa sorte e abraço

Enviar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | coupon codes